quinta-feira, 7 de abril de 2011

Padre Pio e as modas


 
 
 
 
“Vamos nos unir bem muito ao Coração Doloroso de nossa Mãe Celestial e refletir sobre a sua dor infinita e sobre quão preciosa é a nossa alma”. (Padre Pio)

Padre Pio insistiu na Modéstia
 
Padre Pio não toleraria vestidos curtos ou com decotes baixos, saias justas, e ele proibiu suas filhas espirituais de vestir meias-calças transparentes*. A cada ano a sua severidade aumentava. Ele teimosamente as mandava embora do seu confessionário, mesmo antes de pôr o pé dentro, se julgasse que elas estavam indevidamente vestidas. Em algumas manhãs, ele expulsou uma após a outra, até que ele acabou por ouvir muito poucas confissões. Seus irmãos observaram estes drásticos expurgos com certo mal-estar e decidiram pregar uma placa na porta da igreja:

“Por desejo explícito do Padre Pio, a mulher deve entrar no confessionário vestindo saias PELO MENOS 20 centímetros abaixo do joelho. É proibido emprestar um vestido longo na igreja para usá-los para a confissão”.
 
Evitemos o menor risco de ofender a Deus nesta área ou de ser uma ocasião de tentação para o nosso vizinho. Que as modas do mundo não sejam o modelo para o nosso vestuário, mas sim a Virgem Maria e os Santos. Vamos seguir os padrões de recato no vestuário, e recordar as palavras de Nossa Senhora a Beata Jacinta Marto de Fátima:

“Os pecados que mais levam almas para o inferno são os pecados da carne. Hão de vir muitas modas que hão de ofender muito a Nosso Senhor… As pessoas que servem a Deus não devem andar na moda. A Igreja não tem modas. Nosso Senhor é sempre o mesmo”.
 
Algumas vezes, quando o Padre Pio recusou-se a absolver seus penitentes e fechou a porta do pequeno confessionário em seus rostos, as pessoas iam censurá-lo perguntando por que ele agiu desta forma. “Vocês não sabem”, ele perguntou: “Que dor que custa-me fechar a porta a alguém? O Senhor tem me forçado a fazê-lo. Eu não chamo ninguém, nem recuso a ninguém também. Existe alguém que chama, e que as recusa. Eu sou Sua ferramenta inútil”.[1]
 
Citação de uma das cartas do Padre Pio:

“Há, além disso, três virtudes que aperfeiçoam a pessoa devota no que diz respeito ao controle dos seus próprios sentidos. Estas são: a modéstia, a continência e a castidade. Em virtude damodéstia a pessoa devota governa todos os seus atos exteriores. Com razão, então, São Paulo recomendou esta virtude a todos e declarou como é necessária e como se isso não bastasse, ele considera que esta virtude deveria ser óbvia para todos. Pela continência a alma exercita a retenção de todos os sentidos: visão, tato, paladar, olfato e audição. Pela castidade, uma virtude que enobrece a nossa natureza e faz com que seja semelhante à dos Anjos, nós suprimimos a nossa sensualidade e a afastamos dos prazeres proibidos. Este é o retrato magnífico da perfeição cristã. Feliz aquele que possui todas estas belas virtudes, todas elas frutos do Espírito Santo que habita dentro dele. Essa alma não tem nada a temer e vai brilhar no mundo como o sol no céu”.[2]
 
Uma mulher que vendia calças em sua loja de varejo em Vancouver foi se confessar na Itália com Padre Pio e sua absolvição foi recusada…
Ele ordenou que ela voltasse para casa no Canadá e se livrasse de todo seu estoque, e não desse qualquer um dos itens para as pessoas que poderiam usá-los, e se ela quisesse sua absolvição, poderia voltar à Itália e recebê-la, só depois que ela realizasse piedosamente suas ordens.[3]
 
O Santo Padre Pio deve ter tido uma forte consciência dos perigos da falta de modéstia para as nossas almas imortais, e dos perigos da tentação para o nosso próximo. “Que as modas do mundo não sejam o modelo para o nosso vestuário, mas sim a Virgem Maria e os Santos”.
 
A Canonização do Padre Pio nos dá a oportunidade para recordar a gravidade do Santo de San Giovanni Rotondo, que colocou este cartaz na porta de sua igreja:

“A Igreja é a casa de Deus. É proibido para os homens entrar com os braços nus ou usando shorts. É proibido para as mulheres entrarem usando calças, sem um véu sobre sua cabeça, com roupas curtas, decotes baixos, roupas sem mangas ou vestidos imodestos”.[4]
 
 

4 comentários:

  1. Precisaríamos de padres como Pe Pio hoje.
    Em todas as igrejas em que participei da Santa Missa, no Rio de Janeiro, Aparecida do Norte, Além Paraíba onde moro atualmente, não há nenhuma restrição quanto ao traje usado para ir à celebração. O zelo de Pe Pío era muito justo e coerente com respeito devido ao Nosso Senhor.

    ResponderExcluir
  2. As pessoas estão profanando os lugares Santos. Assim como no Forum, na presença do Juiz, não podemos entrar com qualquer roupa, não poderiamos entrar na Casa do Deus Santo nos vestindo de qualquer forma. Temos que ser cristãos biblicos, só que nossa cultura vai contra a Biblia dizendo q: "td é normal, liberal, Deus aceita tudo!". E isso é uma grande mentira, temos que ter zelo e respeito com nossas vestes, e muito mais zelo com a Casa de nosso Pai amado. Pe. Pio, Rogai por nós!

    ResponderExcluir
  3. Mateus, 6-22: "A lâmpada do corpo é o olho. Portanto, se teu olho estiver são, todo teu corpo ficará iluminado; 23 mas se teu olho estiver doente, todo teu corpo ficará ficará escuro. Pois se a luz que há em ti são trevas, quão grandes serão as trevas!"

    Sobre essas roupas usadas pelas mulheres de hoje, parece que Deus permitiu um grande desafio para nós os homens. Para que eles provem que são mesmo honestos e castos... e merecedores do céu.

    ResponderExcluir
  4. Como eu rezo para a Igreja ter mais Padres como Padre Pio, meu Deus do Céu, como eu rezo. Tem um Padre, Daniel Pinheiro, que é quase um padre Pio aqui em Brasília... mas poderia ter muito mais!!! Aqui na minha paróquia está tudo tão profanado que me dá vontade de chorar ao ir a missa sabendo de todas as heresias que vão acontecer e de todas as heresias que os padres vão dizer apoiando isso. "não importa a aparência e sim o amor no coração" uma verdadeira mentira!!!!!!!

    ResponderExcluir