segunda-feira, 23 de abril de 2012

Vigésima-Oitava Rosa - Efeitos Salutares




   Efeitos Salutares

                Santo Agostinho afirmou enfaticamente que não há exercício espiritual mais frutífero ou mais útil à nossa salvação que pensar com frequência nos sofrimentos de Nosso SENHOR.

                O Bem-Aventurado Alberto Magno, mestre de São Tomás de Aquino, que como seu discípulo aprendeu numa revelação que simplesmente pensando ou meditando sobre a Paixão de Nosso Senhor JESUS CRISTO, um cristão ganha mais mérito que se ele tivesse jejuado a pão e água toda sexta-feira por um ano todo, se ele tivesse se disciplinado uma vez por semana até que seu corpo sangrasse, ou que ele tivesse rezado o Livro dos Salmos por completo todo dia. Se assim o é, então, quão grande dever ser o mérito que podemos ganhar pelo Santo Rosário que lembra não só a Paixão mas toda a vida de Nosso SALVADOR!

                Um dia Nossa Senhora revelou ao Bem-Aventurado Alano que, depois do Santo Sacrifício da Missa que é o mais importante, e que é o memorial vivo da paixão de Nosso Santíssimo SENHOR, não pode haver devoção mais pura ou mérito maior que aquele do Santo Rosário, que é como um segundo memorial e a representação da vida e paixão de Nosso Senhor JESUS CRISTO. O Padre Dorland diz que em 1481, Nossa Senhora apareceu ao venerável Domingos, o cartusiano, que viveu em Treves, e disse-lhe: “Sempre que o fiel que está em estado de graça reza o Rosário, enquanto medita nos mistérios da vida e paixão de JESUS CRISTO, obtém a remissão completa e plena de todos os seus pecados (veniais).”

                Nossa Senhora também disse ao Bem-Aventurado Alano: “Quero que saibas que, apesar de haverem várias indulgências já concedidas ao meu Rosário, acrescentarei muitas mais para cada 50 Ave Marias (cada Terço) para aqueles que as rezarem devotamente, de joelhos, estando, é claro, livres do pecado mortal. E todo aquele que perseverar na devoção do Santo Rosário, rezando estas orações e meditações, será recompensado por isso; eu lhe obterei completa remissão da pena e da culpa de todos os seus pecados no fim de sua vida. Não sede descrentes, pensando isto ser impossível. É fácil para mim, pois sou a Mãe do Rei do Céus, e Ele me chama cheia de graças. E, sendo cheia de graças, posso dispensá-las ao meus filhos.”

                São Domingos ficou tão convencido da eficácia do Santo Rosário e de seu grande valor, que quando ele ouvia confissões, dificilmente mandava que se fizesse outra penitência. Você já viu um destes fatos, quanto contei-lhe sobre a senhora de Roma a quem ele pediu só um Rosário por penitência. São Domingos foi um grande santo e outros confessores deveriam seguir sem exemplo, pedindo que seus penitentes rezem o Rosário e ao mesmo tempo meditem nos mistérios sagrados, ao invés de dar-lhes penitências que são menos meritórias e menos agradáveis a DEUS, de pouco proveito em virtude e com menos eficácia, pois o Rosário as auxiliará a evitar a cair em pecado. Ainda mais, enquanto se reza o Rosário, as pessoas ganham inúmeras indulgências que não estão ligadas a outras devoções.

                O Abade Blósio disse: “O Rosário rezado, junto com a meditação da vida e paixão de JESUS CRISTO, é certamente muito agradável a Nosso SENHOR e Sua Santíssima Mãe, além de ser um meio bem sucedido de se alcançar graças por nós mesmos, bem como pelos outros a quem desejamos orar e por toda a Igreja. Voltemo-nos, então, para o Rosário em todas as nossas necessidades, e infalivelmente obteremos as graças que pedimos a DEUS para salvar nossas almas.”

32º Capitulo - Extraído do Livro "O Segredo do Rosário" São Luiz M. Grignion de Montfort  

Nenhum comentário:

Postar um comentário