quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Quadragésima-Nona Rosa - As Indulgências




                As Indulgências

                Esta na hora de tratarmos um pouco das indulgências que são concedidas aos membros da Confraria do Rosário, a fim de que você possa obter o máximo possível.

                A indulgência é a remissão total ou parcial da pena temporal devida pelos pecados atuais, pela aplicação das satisfações superabundantes de JESUS CRISTO, da Santíssima Virgem e dos santos, que estão contidos no Tesouro da Igreja.

                Uma Indulgência Plenária é uma remissão da pena devida pelo pecado; uma Indulgência Parcial de, por exemplo, cem ou mil anos pode ser aplicada como a remissão de tantas penas que poderiam ser expiadas durante cem ou mil anos, se se tivesse dado um número correspondente das penas prescritas pelos antigos Cânones da Igreja.

                Agora estes cânones prescrevem exatamente sete e às vezes dez ou quinze anos de penas (castigo) por só um pecado mortal, assim uma pessoa que fosse culpada de vinte pecados mortais provavelmente deveria ter que cumprir pena de sete vezes vinte anos (140 anos) e dai por diante.

                Os membros da Confraria que desejam adquirir indulgências devem:

                1- estar verdadeiramente arrependidos e se confessar e comungar, como a Bula das Indulgências ensina;

                2- devem estar inteiramente livres de afeição pelo pecado mesmo venial, porque se houver afeição pelo pecado também permanecerá a culpa, e como há culpa, a pena não pode ser abolida;

                3- eles devem fazer suas orações e boas obras designadas pela Bula. E, de acordo com o que os Papas tiverem concedido, pode-se ganhar uma indulgência parcial (por exemplo, de cem anos) sem obter uma indulgência plenária, não será sempre necessário confessar e comungar a fim de obtê-la. Muitas indulgências parciais são concedidas à reza do Rosário (ora do Terço ou as quinze dezenas), às procissões, aos rosários bentos, etc.

                Esteja atento para não desperdiçar estas indulgências. Flammin e um grande número de outros escritores nos contam um incidente em que uma menina de, distinta família, pelo nome de Alexandra, se convertera milagrosamente e entrou na Confraria do Santíssimo Rosário por intermédio de São Domingos. Após sua mortem ela apareceu a ele dizendo que tinha sido condenada a sete anos de Purgatório, por causa de seus pecados e daqueles que fez com que cometessem com suas vaidades mundanas. Ela implorou-lhe que aliviasse suas penas através de suas orações e pedia aos membros da Confraria que rezassem pelo mesmo propósito. São Domingos rezou como ela pediu.

                Duas semanas depois, ela apareceu a ele, mais radiante que o sol, tendo sido rapidamente libertada do Purgatório através das orações dos membros da Confraria que rezaram por ela. Ela também disse a São Domingos que as Almas Santas no Purgatório tinha lhe pedido que ele continuasse a pregar o Santo Rosário por elas, e que elas os recompensaria abundantemente quando estivessem na glória.



50º Capitulo - Extraído do Livro "O Segredo do Rosário" São Luiz M. Grignion de Montfort

Nenhum comentário:

Postar um comentário