segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Quando eu rezo a Ave Maria

“Quem te ama, ó excelsa Maria, leia isto e extasie-se:
Quando eu rezo a Ave Maria,
a corte celestial se regozija,
a Terra se perde em admiração,
eu esqueço o Mundo
e meu coração transborda do amor de DEUS.

Quando eu rezo a Ave Maria;
todos os temores se dissipam
e minhas paixões se apaziguam.

Se eu rezo a Ave Maria;
a devoção cresce dentro de mim
e desperta a contrição pelo pecado.

Quando eu rezo a Ave Maria,
a esperança fica forte em meu peito,
e o frescor da consolação
inunda minha alma mais e mais,
porque eu rezo a Ave Maria.

Meu espírito se regozija,
a tristeza vai embora
quando eu rezo a Ave Maria.

Porque a doçura desta suavíssima saudação é tão grande que não há termos adequados para explicá-la devidamente e, depois de haver dito dela maravilhas, todavia ainda a achamos tão cheia de mistério e tão imensa que sua profundidade é impossível de ser compreendida. É curta em palavras, mas grande em mistérios. É mais doce que o mel e mais preciosa que o ouro. Devemos tê-la frequentemente no coração para meditá-la e na boca para rezá-la devotamente.”

Beato Alano de La Roche – citado na obra “O Segredo do Rosário” de São Luís Maria Grignion de Montfort.

+
Visto em: Vas Honorabile

Um comentário:

  1. Oh! Maria concebida sem pecados,
    rogai por nós que recorremos a Vós!

    ResponderExcluir