segunda-feira, 12 de maio de 2014

Leitura Indulgenciada - A Alma Gloriosa de Maria - 11

Orações - Clique Aqui



XI. Alma Eloquente
 As almas silenciosas são as mais eloquentes, se tomamos eloquencia pelo dom de convencer e de mover os homens. E isto porque suas palavras, sendo raras, não aborrecem, mas vêm sempre a propósito; sendo antes meditadas, soam sempre com a força da concentração e da convicção donde nasceram. Esta eloquencia possuiu a alma gloriosa de Maria em grau elevado. Pois, em grau elevado, foi ela, também, uma alma de silêncio. E não é assim? Diz algumas palavras ao Anjo embaixador de Deus e estas palavras, ecoando pelo mundo afora, operam maravilhas de transformação. “Eis aqui a serva do Senhor” exclama a Virgem — e, desde então, não têm faltado legiões de almas que fizeram de sua vida inteira um serviço exclusivo e dedicado a Deus Nosso Senhor. Servindo-O não só em seu templo com orações e sacrifícios, mas pelas estradas, pelos hospitais, pelas casas da pobreza e terras pagãs, na pessoa dos infiéis, dos leprosos, dos mendigos, de todos os que sofrem. É o verdadeiro serviço de Deus no seu duplo aspecto: vida contemplativa e vida ativa. Santa Teresa e Santa Isabel, S. Bruno e S. Vicente de Paulo, frutos da palavra de Maria:   Eis aqui a serva do Senhor! Faça-se em mim segundo a vossa Palavra — diz a Senhora e com esta palavra só o mundo todo começa a submeter-se à civilização cristã. As suas palavras do “Magnificat” são de eloquencia tão arrebatadora, tão do céu, que, ao seu lado, as vozes de um Bossuet são balbucios apenas. E, depois, quando, em Caná, ela docemente ordena:Fazei tudo o que Ele (Jesus) vos disser, não são somente aqueles servos das bodas que lhe obedecem, vencidos pela eloquencia suave de sua voz, mas é toda esta interminável procissão de almas, que no andar dos tempos fizeram da devoção esclarecida a Maria um meio de chegarem integralmente a Jesus. Elas têm em seu estandarte o lema: Por Maria a Jesus! — E que frutos de consolo e de salvação já não produziu o silêncio eloquente de Maria, sentada ao pé da cruz, tendo em seus braços morto o Filho divino! É como si dissesse: “Ó vós todos que passais sofrendo pelo caminho da vida, parai um instante e vede se há dor semelhante à minha!”

Entremos em uma igreja e, onde houver uma Pietá, encontraremos, sempre, ao seu derredor, ouvintes atentos e comovidos, presos pela linguagem muda de Maria. Que converte, que conforta, que transforma as almas sofredoras há 20 séculos já! Como é eloquente a alma gloriosa de Maria! Por isso todos os pregadores insignes foram também insignes devotos da Virgem Mãe. Para não falar dos santos, lembremo-nos só de um Montefeltro, franciscano, e de um Boaventura, dominicano alemão, ambos quase de nossos dias que, parece, bebiam a sua eloquencia extraordinária, com o rosário na mão, aos pés da alma de Maria.
NÓS não precisamos da eloquencia da tribuna, mas precisamos, sim, da eloquencia da vida. Da qual o humilde São Francisco fazia tanto caso. “Pregai e convertei — dizia ele — mais pelo exemplo do que pela palavra”. Isto é, tende a eloquencia de uma vida santa, humilde, caridosa, mortificada e pura, é ela que convence os homens.
 MÃE da divina graça, Rainha dos Apóstolos, dai-nos uma parcela da vossa eloquencia santa, para com ela levarmos as almas a Jesus. Assim seja!

__________
Do Livro: A Alma Gloriosa de Maria - Frei Henrique G. Trindade, O.F.M. - 1937 - segunda edição

Fonte:

Nenhum comentário:

Postar um comentário