segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Como tratar os amigos

AmigosTravação de madeira bem presa ao fundamento do edifício não se solta; assim o coração, confirmado pela reflexão prudente, nenhum temor o abalará.
O coração firmado numa reflexão inteligente é como o enfeite em parede polida.
Assim como uma paliçada no alto e pedras colocadas sem cuidado não resistirão à força do vento.
Assim o coração hesitante pelos pensamentos estultos não resistirá diante das ameaças.
Quem fere o olho faz correr lágrimas; quem fere o coração, expulsa dele a amizade.
Quem atira pedras nos pássaros, afugenta-os; assim, quem censura a gritos o amigo, desfaz a amizade. Se brandiste a espada contra o amigo, não desesperes: o retorno é possível;
Se abriste amargamente a boca diante do amigo, não temas: pode haver reconciliação; se, porém, houve gritaria, injúria, soberba, revelação de segredos ou golpe desleal, nestes casos, qualquer amigo se afasta.
Guarda fidelidade ao amigo em sua pobreza, para que possas beneficiar da sua prosperidade;
No tempo da sua tribulação permanece-lhe fiel, para teres parte na sua herança.
Como o vapor e a fumaça da fornalha aparecem antes do fogo, assim, antes do sangue, as maldições e injúrias e ameaças.
Não me envergonharei de proteger um amigo e não me esconderei de sua face; se me vierem males por causa dele, aguentarei: todo aquele que o souber, porém, se precaverá contra ele.
Eclo 22, 19-32
Fonte:

Nenhum comentário:

Postar um comentário