domingo, 7 de setembro de 2014

Uso e abuso da palavra

boca[Instrução sobre a boca.] Ouvi, filhos, a instrução sobre a boca: quem a guardar, não será surpreendido pelos lábios nem tropeçará em atos perversos.
O pecador será apanhado por seus lábios, e o maldizente e soberbo tropeçará por eles.
Não acostumes tua boca ao juramento: muitas têm sido as quedas por causa dele.
O nome de Deus não seja freqüente em tua boca nem o mistures aos nomes de seus anjos pois não estarás imune de ofendê-los.
Como o escravo, freqüentemente investigado,não pode ficar livre das marcas dos golpes, assim, quem jurar e pronunciar o Nome divino a toda hora, não ficará livre de pecado.
Quem muito jura, enche-se de iniqüidadee a praga não se afastará de sua casa.Se jurar por inadvertência, seu delito virá sobre ele; se o fizer por leviandade, pecará duplamente.
Se jurar em vão, não será justificado e a sua casa se encherá de males.
Há ainda outro modo de falar, comparável à morte: não seja ele encontrado na herança de Jacó
Dos que temem a Deus todas essas coisas estão afastadas, e eles não se envolverão nesses pecados.
Tua boca não se habitue a grosserias descontroladas, pois nelas sempre há pecado.
Lembra-te de teu pai e de tua mãe quando te sentares no meio dos grandes: para que não venhas, na presença destes, a esquecer quem tu és e, envaidecido com a tua assiduidade junto a eles, chegues a sofrer injúria. Então preferirias não ter nascido, e chegarias a maldizer o dia do teu nascimento.
Quem se habituou a destratar os outros não se corrigirá pelo resto dos seus dias.


Eclo 23, 7-20
Fonte:

Nenhum comentário:

Postar um comentário