quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Terço da Misericórdia

O Rosário Convencional não pode ser substituído pelo Terço da Misericórdia

Veja alguns Católicos que, por não conhecer a grandeza do Rosário, acabam deixando de rezá-lo, e as vezes até substituindo pelo terço da misericórdia, ou por outra oração. Quero aqui tentar explicar os motivos, com base nos escritos dos Santos, o quanto a oração do rosário é grandiosa, e não há devoção maior neste mundo, depois da Santa Missa que a devoção ao Rosário de Nossa Senhora.

Não é em vão que Nossa querida Mãe do céu, apareceu tantas vezes insistindo para que rezassem ao menos o terço todos os dias, pela conversão dos pecadores e salvação de suas almas. Muitos santos dizem que através do Rosário podemos obter tudo de nossa Senhora. E portanto ele não é substituível. Mais triste ainda é quando ele é substituído pelo terço da misericórdia, por ele ser mais curto e mais rápido terminar, infelizmente já vi isso em algumas pessoas e imagino que Nossa Senhora deve ficar realmente muito triste com estas atitudes de pouca devoção e pouco amor por ela. 

É vontade de Maria que rezemos o Rosário



"A Santíssima Virgem lhe disse (ao Bem-aventurado Alano de la Roche) também um dia a fim de o inspirar a pregar o Santo Rosário mais e mais: "Tu fostes um grande pecador na juventude, mas eu obtive de meu FILHO a graça da tua conversão. Se fosse possível, gostaria eu de ter passado por todos os tipos de sofrimentos a fim de salvar-te, pois a conversão dos pecadores é uma glória para mim. E eu pedi, também, que tu fosses digno de pregar o Rosário por toda a parte." [1]

São Domingos disse ao Bem-aventurado Alano: “Vede os maravilhosos resultados que tive ao pregar o Santo Rosário! Tu e aqueles que amam Nossa Senhora devem fazem o mesmo, por meio do santo exercício do Rosário, atraireis todos à verdadeira ciência das virtudes.” [1]

Nossa Senhora abençoa não somente aqueles que propagam seu Rosário, mas ela recompensa copiosamente à aqueles que com seu exemplo atrai os demais a esta devoção.

"Não é possível expressar quanto a Santíssima Virgem estima o Rosário sobre todas as demais devoções, e quão magnânimo é ao recompensar os que trabalham para pregá-lo, estabelecê-lo e cultivá-lo. Recitado enquanto são meditados os mistérios sagrados, o Rosário é manancial de maravilhosos frutos e depósito de toda espécie de bens. Através dele, os pecadores obtêm o perdão; as almas sedentas se saciam; os que choram acham alegria; os que são tentados, a tranqüilidade; os pobres são socorridos; os religiosos, reformados; os ignorantes, instruídos; os vivos triunfam da vaidade, e as almas do purgatório (por meio de sufrágios) encontram alívio. Perseverai, portanto, nessa santa devoção, e tereis a coroa admirável preparada no Céu para a vossa fidelidade”. (São Luís Maria de Montfort). [3]

O Rosário é a Melhor das devoções, depois da Santa Missa


Isso quem diz é São Luís Maria de Montfort: "O Rosário completo é, pois, uma grande coroa de rosas e o Terço de cinco dezenas é uma pequena coroa de flores ou uma pequena coroa de rosas celestiais que colocamos nas cabeças de JESUS e Maria. A rosa é a rainha das flores, e o Rosário, depois da Santa Missa é a melhor das devoções". [1] 

E continua:

"Não é possível para mim expressar em palavras o quanto Nossa Senhora pensa a respeito do Santo Rosário e de como ela imensamente o prefere em relação a todas as outras devoções. Nem posso eu me expressar de maneira suficiente o quanto ela recompensa aqueles que trabalham, a fim de propagar esta devoção a fim de estabelecê-la e divulgá-la, nem por outro lado, o quanto ela pune aqueles que trabalham contra esta devoção". [1]

O Rosário é uma oração perfeita


É perfeita por que engloba tudo o que é de mais agradável a Deus e Nossa Senhora. Ele possui todas as orações mais agradáveis aos olhos de Deus, segue descrito abaixo:



1 - Possui o símbolo de Nossa Fé. "Credo ou o Símbolo dos Apóstolos que é rezada no crucifixo do Rosário é um santo sumário de todas as verdades cristãs. É uma oração que possui grande mérito porque a fé é a raiz, a base e o começo de todas as virtudes cristãs, de todas as virtudes eternas e também de todas orações que são do agrado do DEUS Todo-Poderoso." (São Luis Maria de Montfrot) [1]

2 - Possui a oração do Pai Nosso, que foi ensinada diretamente por Jesus Cristo. "O PAI Nosso ou a oração do SENHOR possui grande valor acima de tudo por causa de sua Autoria que não é nem humana nem angélica, mas do Reis dos Anjos e dos homens, Nosso Senhor e Salvador JESUS CRISTO. São Cipriano disse que parecia certo que Nosso SENHOR, por quem nascemos para a vida da graça, veio para ser o nosso Mestre celestial e os ensinar a orar" (São Luis Maria de Montfort). [1]

3 - Possui a saudação Angélica, ou Ave Maria. Assim diz São Luis Maria de Montfort: "A Saudação Angélica é o mais ocioso sumário que toda a teologia Católica nos ensina a respeito da Virgem Santíssima. Ela é dividida em duas partes, uma de louvor e a outra de petição: a primeira mostra tudo quanto constitui a verdadeira grandeza de Maria e tudo que necessitamos pedir a ela e tudo o que podemos esperar receber de sua bondade. (...) Através da Saudação Angélica, DEUS se tornou Homem, uma virgem se tornou Mãe de DEUS, as almas dos justos foram libertadas do Limbo, enchendo, no Céu, os tronos vazios. Além disto, o pecado foi perdoado, a graça nos foi dada, os doentes foram curados, os mortos ressuscitaram, os exilados foram trazidos de volta ao seu lar, a ira da SANTÍSSIMA TRINDADE foi apaziguada e os homens obtiveram a vida eterna. Finalmente, a 'Saudação Angélica é um arco-íris nos céus, um sinal de misericórdia e graça que DEUS dá ao Mundo'." (Bem-aventurado Alano de La Roche) [1] Não há nada que agrade mais a nossa Mãe, que recitar a Ave Maria, é como oferecer uma rosa a Nossa Senhora, como foi dito acima.

4 - Possui os 15 Mistérios da vida de Jesus e de Maria: "Um mistério é uma realidade sagrada que é difícil de compreender. As obras de Nosso Senhor JESUS CRISTO são todas sagradas e divinas, porque Ele é DEUS e Homem ao mesmo tempo (...)" [1]

Continua

"São Domingos dividiu a vida de Nosso SENHOR e Nossa Senhora em quinze mistérios que lembram suas virtudes e ações mais importantes. São quinze quadros, cujas cenas devem servir-nos de normas e exemplos de fogo que guiam nossos passos nesta vida terrena". [1]

5 - Possui a Meditação da Paixão e Morte de Nosso Senhor Jesus Cristo, que é o que mais agrada a Deus. Lhe agrada muito meditar o quanto Ele sofreu por nós. E isto novamente, não sou eu quem digo, e sim dois grandes santos da Igreja e a própria Virgem Maria, segue abaixo as devidas citações:

Virgem Maria ensinou ao Bem-aventurado Alano de La Roche e disse-lhe em uma visão: “Quando os fiéis rezem as Cento e cinquenta Ave Marias e os e os Quinze PAI Nossos, muito me agradam e esta devoção é eficaz para se obter graças. Mas a eficácia aumenta muito mais e me agradarão mais ainda se, enquanto se rezar, meditar na Vida, Paixão, Morte e Ressurreição de JESUS CRISTO, pois a meditação é a alma desta devoção.” [1]

Santo Afonso de Ligório, doutor da Igreja, diz o mesmo:

"Quem pode negar que a devoção à paixão de Jesus Cristo é a devoção mais útil, a mais terna e a mais cara a Deus? Devoção que mais consola os pecadores e mais anima as pessoas que amam? De onde recebemos tantos bens, senão da paixão de Cristo? De onde temos a esperança de perdão, a força contra as tentações, a confiança de chegar ao paraíso? De onde vem tantas luzes da verdade, tantos convites de amor, tantos estímulos para mudar de vida, tantos desejos de nos doar a Deus, senão da paixão de Cristo? São Paulo tinha razão em chama de condenado aquele que não ama a Jesus Cristo: 'Se alguém não ama o Senhor, seja condenado'. Diz São Boaventura: 'Se quereis progredir no amor de Deus, meditai todos os dias a Paixão do Senhor. Nada contribui tanto para a santidade das pessoas como a Paixão de Cristo'. E dizia já Santo Agostinho: 'Vale mais uma lágrima derramada ao lembrar da Paixão, do que o jejum a pão e água em cada semana.' É por isso que os santos se ocuparam tanto em meditar as dores de Cristo." [2]

Existem certamente uma infinidade de escritos dos Santos a respeito de tão bela devoção, mas vou me conter em postar estas que creio que sejam suficientes para que o leitor compreenda a grandeza de meditar as dores de Cristo e quanto isso agrada nosso Senhor. 

6 - O Rosário é uma oração perfeita por que por ele pedimos a intercessão da Mãe de Deus: Não há no céu nem na terra maior Intercessora que Nossa Senhora, e no rosário nós colocamos tudo nas mãos de Maria, e confiamos a ela nossa oração. Jesus nada nega a sua mãe.

7 - O Rosário é uma oração perfeita também, por que nele pedimos a intercessão dos Santos que estão no céu, para que roguem por nós. 

Considerações finais


Depois dos motivos expostos acima, creio que o leitor possa refletir: O que faltou na oração do rosário? Nada. O Rosário é uma oração completa e a mais perfeita, por isso Nossa Senhora tanto insistiu em todas suas aparições, que rezemos ao menos o terço todos os dias. Nada pode ser substituído pela oração do rosário. Como disse São Luís Maria de Montfort [1], no livro citado , não peca quem reza de outra forma, porém, nada neste mundo, nem uma outra oração é tão grande em méritos e tão querida por nosso Senhor. Aconselhamos fortemente a leitura completa do livro citado que pode ser baixado no link abaixo.


Fontes:
[1] O Segredo do Rosário - Livro escrito por São Luís Maria de Montfort. Baixe o livro completo AQUI.
[2] A Prática do Amor a Jesus Cristo - Santo Afonso de Ligório.
[3] MONTFORT, São Luís Maria Grignion de, Tratado Da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem, Rio De Janeiro: Vozes, 28º edição.

http://pensamentosdedeuss.blogspot.com.br/2014/01/o-terco-da-misericordia-nao-pode-ser.html

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Reflexão: A Direção da Alma



A Direção da Alma

IV

Ora, para conservar em ti este espírito de temor, de dor e de desejo, exerce-te externamente numa perfeita modéstia, justiça e piedade, afim de que, segundo escreve o Apóstolo, "renunciando à impiedade e às paixões mundanas, vivas sóbria, justa e piedosamente neste século"(Tito, 2, 12).

1. - Exerce-te numa perfeita modéstia para que, segundo a doutrina do Apóstolo, "a tua modéstia seja conhecida por todos os homens"(Phil. 4, 5). Exerce-te primeiro na modéstia da parcimônia no comer e vestir, no dormir e vigiar, no recreio e no trabalho, não excedendo a medida em coisa alguma.

Depois, exerce-te na modéstia da disciplina, com moderação no silêncio e no falar, na tristeza e na alegria, na clemência e no rigor, conforme as circunstâncias o exigem, e a sã razão o prescreve.

Finalmente, exerce-te na modéstia da civilidade, regulando, ordenando e compondo as ações, os movimentos, os gestos, as vestes, os membros e os sentidos, conforme o requer a educação moral e o costume na ordem, para que merecidamente pertenças ao número daqueles aos quais o Apóstolo diz: "Faça-se tudo entre vós com decência e ordem" (I Cor. 14, 40).


2. - Exerce-te também na justiça para que te sejam aplicáveis as palavras do Profeta: "Reina por meio da verdade, da mansidão e da justiça" (Ps. 44, 5).


Na justiça, afirmo, integra por zelo pela honra divina, por observância da lei de Deus e por desejo da salvação do próximo.

Na justiça regulada pela obediência aos superiores, pela sociabilidade aos iguais, pela punição das faltas dos inferiores.

Na justiça perfeita, de forma que aproves toda a verdade, favoreças a bondade, resistas à maldade tanto no Espírito, como nas palavras e obras, não fazendo a ninguém o que não queres que te façam, não negando a ninguém o que dos outros desejas, para que imites com perfeição aqueles a quem foi dito: "Se a vossa justiça não for maior do que a dos escribas e fariseus, não entrareis no reino dos céus" (Matth. 5, 20).


3. - Finalmente, exerce-te na piedade, porque, como diz o Apóstolo, "a piedade é útil para tudo, porque tem a promessa da vida presente e futura" (I Tim. 4, 8).

Exerce-te na piedade do culto divino, recitando as horas canônicas atenta, devota e reverentemente, acusando e chorando as faltas quotidianas, recebendo a seu tempo o Santíssimo Sacramento e ouvindo todos os dias a Santa Missa.

Na piedade, por meio da salvação das almas, auxiliando ora por frequentes orações, ora por instrutivas palavras, ora pelo estímulo do exemplo, para que quem ouve diga: Vem! (Apoc. 22, 17). Isto, porém, cumpre fazer com tanta prudência, que a própria alma não sofra prejuízo.

Na piedade, por meio do alívio das necessidades corporais, suportando com paciência, consolando amigavelmente, ajudando com humildade, alegria e misericórdia, para desta forma: cumprires o mandamento divino enunciado pelo Apóstolo: "Carregai os fardos uns dos outros, e desta maneira cumprireis a lei de Cristo" (Gal. 6, 2).

Para praticares tudo isto, o meio melhor, eu o creio, é a lembrança do Crucificado, afim de que o teu Dileto, como um ramalhete de mirra (Cântico dos C. 1, 12), descanse sempre junto ao teu coração.

Isto te queira prestar Aquele que é bendito por todos os séculos dos séculos.

Amém.

Uma das mais notáveis obras de São Boaventura: "A Direção da Alma e a Vida Perfeita".
livro completo: http://www.mediafire.com/view/?72m7g86e2qivh6c


Fonte:
http://farfalline.blogspot.com.br/

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Pequeno tratado da Irmã Lúcia, sobre a natureza e recitação do Terço

Coimbra, Dec. 4, 1970

Dear Maria Teresa,
Pax Christi,

A nossa Madre recebeu a sua carta, e pede desculpa de não responder pessoalmente; mas não lhe é possível neste momento, em que está com tanto que fazer, por causa da próxima fundação do novo Carmelo de Braga. Por este motivo, entregou-me a carta, para que responda eu. É o que venho fazer.

A nossa Madre não pode dar a licença que a Maria Teresa deseja. Mas também não é necessária. Eu não devo nem posso pôr-me em evidência. Devo permanecer em silêncio, na oração e na penitência. É a maneira como melhor posso e devo auxiliar. É preciso que todo o apostolado tenha, como base, este fundamento; e esta é a parte que o Senhor escolheu para mim; orar e sacrificar-me pelos que lutam e trabalham na vinha do Senhor, e pela extensão do seu Reino.

É por este motivo que o meu nome não deve aparecer. Em vez dele, é muito mais eficaz que se sirva do Nome de Nossa Senhora, sugerindo o movimento como «Cumprimento» da Mensagem, apresentando como argumento a insistência com que

Nossa Senhora pediu e recomendou que se reze o Terço todos os dias, repetindo o mesmo em todas as Aparições, como que prevenindo-nos para que, em estes tempos de desorientação diabólica, nos não deixemos enganar por falsas doutrinas, diminuindo na elevação da nossa alma para Deus, por meio da oração.


Por certo que não é preciso que durante a celebração do Santo Sacrifício da Missa, aquele em que se deva rezar o Terço: Tempo deve haver para a Santa Missa, e tempo para rezar o Terço: Podemos e devemos tomar parte numa coisa, sem deixar a outra. O Terço é, para a maioria das almas que vivem no mundo, como que o pão espiritual de cada dia; e privá-las ou tirar-lhes esta oração, isto é, diminuir nos espíritos o apreço e a boa fé com que a rezavam, é, na parte espiritual, o mesmo ou mais ainda; tanto mais quanto a parte espiritual é superior à material. Digo: É como se na parte material privassem as pessoas do pão necessário à vida física.

Infelizmente, o povo, na sua maioria, em matéria religiosa, é ignorante e deixa-se arrastar por onde o levam. Daí, a grande responsabilidade de quem tem a seu cargo conduzi-lo; e todos nós somos condutores uns dos outros, porque todos temos o dever de ajudar-nos mutuamente, e andar pelo bom caminho.

Além do que tenho dito, será bom que à oração do Terço se dê um sentido mais real que aquele que se lhe tem dado, até aqui, de simples oração «mariana». Todas as orações que rezamos no Terço são orações que fazem parte da Sagrada Liturgia; e, mais que uma oração dirigida a Maria, é dirigida a Deus: — O Pai-Nosso foi-nos ensinado por Jesus Cristo, dizendo: «Rezai, pois, assim: Pai Nosso, que estais nos Céus...» — «Glória ao Pai, ao Filho, ao Espírito Santo ...» é o hino que cantaram os Anjos enviados por Deus para anunciar o nascimento do Seu Verbo, Deus feito homem. — A Ave-Maria, bem compreendida, não é menos uma oração dirigida a Deus: «Ave, Maria, gratia plena, Dominus tecum»: Eu Te saúdo, Maria, porque Contigo está o Senhor! Estas palavras são, com certeza, ditadas pelo Pai ao Anjo, quando O enviou à terra, para que com elas saudasse a Maria.

Sim! O Anjo veio dizer, a Maria, que Ela era cheia de Graça, não por Ela mas porque com Ela estava o Senhor! — «E Bendita sois Vós entre as mulheres, e Bendito é o fruto do Vosso ventre, Jesus»: Estas palavras, com que Isabel saudou a Maria, foram-Lhe ditadas pelo Espírito Santo, diz-nos o Evangelista: «Ao ouvir Isabel a saudação de Maria, ... ficou cheia do Espírito Santo. Erguendo a voz, exclamou: Bendita és Tu entre as mulheres, e Bendito é o fruto de Teu ventre». Sim! Porque esse fruto é Jesus, verdadeiro Deus e verdadeiro Homem!

Assim, esta saudação é um louvor a Deus: És Bendita entre as mulheres, porque é Bendito o fruto do Teu ventre; e porque Tu és a Mãe de Deus feito Homem, — em Ti adoramos a Deus como em primeiro Sacrário, no qual o Pai encerrou o Seu Verbo; como primeiro Altar, o Teu Regaço; primeira Custódia, os Teus braços, diante dos quais se ajoelharam os Anjos, os pastores e os reis, para adorar o Filho de Deus, feito Homem! E porque Tu, ó Maria, és o primeiro Templo vivo da Santíssima Trindade, onde mora o Pai, o Filho e o Espírito Santo, «o Espírito virá sobre Ti e a força do Altíssimo estenderá sobre Ti a Sua sombra. Por isso mesmo é que o Santo, que vai nascer, há-de chamar-se Filho de Deus»  (Lc. 1, 35). E já que és um Sacrário, uma Custódia, um Templo vivo, morada permanente da Santíssima Trindade, Mãe de Deus e Mãe nossa,  —«roga por nós, pobres pecadores, agora e na hora da nossa morte».

Quem poderá negar que isto é uma oração e um louvor dirigido a Deus?! Será mais que para dirigir a Deus os nossos louvores, as nossas adorações, as súplicas, nos ajoelhemos diante de altares de madeira, pedra ou metal, ou de custódias douradas, insensíveis, incapazes de rogar por nós?!

Certo é que São Paulo diz que há um só Medianeiro junto do Pai. Sim! Como Deus, há um só, que é Jesus Cristo. Mas o mesmo Apóstolo pede que roguem por ele e recomenda que roguemos uns pelos outros: Poderia, então, o Apóstolo não crer que a oração de Maria não fosse tão agradável a Deus, como a nossa?! É a desorientação diabólica que invade o mundo e engana as almas! É preciso fazer-lhe frente; e para isso pode servir-se do que aqui lhe digo. Mas como coisa sua, sem dizer o meu nome; como coisa que lhe sai ao correr da pena. E, na verdade, sua é, porque, na qualidade de membros que somos do Corpo Místico de Cristo, tudo é nosso, porque tudo é da Cabeça, Cristo Jesus.

E fico no meu lugar, rezando por si, por todos aqueles que consigo vão trabalhar, para que seja uma campanha que dê muita glória a Deus, leve muita luz e graça às almas, paz à Santa Igreja e ao mundo ensanguentado em guerras.

Talvez também fosse bom apresentar a campanha, não só como cumprimento da Mensagem, mas também como campanha de oração e penitência pela paz do Mundo, da Santa Igreja e de Portugal nas Províncias Ultramarinas. E que Portugal, que é tão devoto da Eucaristia e de Maria, seja o primeiro a reconhecer que a oração do Terço não é somente uma oração Mariana, mas também Eucarística. E, por isso, nada deve impedir que se possa rezar diante do Santíssimo Sacramento. Em prova disto está que o Santo Padre Pio XI havia concedido indulgência plenária a quem rezasse o Terço diante do Santíssimo; e recentemente foi de novo concedida a mesma indulgência por Sua Santidade Paulo VI.

É, pois, preciso rezar o Terço, nas Cidades, nas Vilas e nas Aldeias, pelas ruas, pelos caminhos, de viagem ou em casa, nas igrejas e capelas! É a oração acessível a todos, e que todos podem e devem rezar. Há muitos que diariamente não assistem à oração litúrgica da Santa Missa; Se não rezam o Terço, que oração fazem?! E, sem oração, quem se salvará ?! —«Vigiai e orai para não entrardes em tentação».

É preciso, pois, orar, e orar sempre. Isto é, que todas as nossas actividades e trabalhos sejam acompanhados de um grande espírito de oração, porque é na oração que a alma se encontra com Deus; e é nesse encontro que se recebe graça e força, ainda mesmo quando ela é acompanhada de distracções. Ela leva sempre às almas um aumento de Fé, ainda que não seja mais que a recordação momentânea dos mistérios da nossa Redenção, lembrando o Nascimento, Morte e Ressurreição do nosso Salvador; e Deus saberá descontar e perdoar o que toca à humana franqueza, ignorância e pouquidade.

Quanto à repetição das Ave-Marias, não é como querem fazer crer que seja uma coisa antiquanda. Todas as coisas que existem e foram criadas por Deus, se mantêm e conservam por meio da repetição, continuada sempre, dos mesmos actos. E ainda a ninguém se ocorreu chamar antiquado ao sol, lua, estrelas, aves e plantas, etc., porque giram, vivem e brotam sempre do mesmo modo! E são bem mais antigos que a reza do Terço! Para Deus, nada é antigo. — São João diz que o Bem-aventurados, no Céu, cantam um cântico novo, repetindo sempre; Santo, Santo é o Senhor, Deus dos Exércitos! É novo, porque, na luz de Deus, tudo aparece com novo brilho!
Um grande abraço da sempre em união de orações.

Irmã Lúcia 
i.c.d.

***

J.M. 
Coimbra, 29-5-1970
Querida Maria Teresa:

Pax Christi 

Respondo às suas cartas no dia do aniversário da Ordenação do Santo Padre. Hoje é tudo por Sua Santidade. Que Nossa Senhora seja a portadora das nossas pobres e humildes orações.
Agradeço as suas cartas e os recortes... Gostei muito de ver como já estão a recuar... Bendito seja Deus! E continuamos a rezar para que tudo se normalize.
A lista sobre o «cancro» é horrível! Como os partidários do demónio trabalham para o mal, e não têm medo de nada! Nem de ficar mal colocados, nem de perder! Andam sempre para diante, com ousadia destemível! E só nós havemos de acobardar-nos?! Acaso Deus pode menos que o demónio?! Ou temos nós menos Fé em Deus e no Seu poder?! — É preciso andar para diante sem medo e sem receio. Deus está connosco, e Ele há-de vencer.
Deus queira que a entrevista com o Sr. Arcebispo de Mitilene tenha corrido bem, e que Sua Ex.a não seja um dos medricas... Penso que o melhor seria fazerem as coisas com o conhecimento de Suas Ex.cias, mas sem que tomem responsabilidade, (como se não soubessem), isto é, para se evitar o inconveniente dos medos ... Depois, em vendo o êxito, então já podem declarar-se a tomar parte.

Claro que a parte secular e feminina pode iniciar muita coisa que a sua dignidade, em princípio, pode hesitar. Mas nós sabemos que Deus e Nossa Senhora está connosco, e, por isso, não temos medo. Caso encontre dificuldades, penso que podia dizer isto, ou apresentar o problema sob este ponto de vista: como se não soubessem e se tratasse simplesmente de iniciativa de mulheres. Também foi assim que se conseguiu iniciar a Peregrinação Mundial da Imagem Peregrina. Os princípios são sempre muito difíceis, por causa dos medos... Depois, estes desvanecem-se. Todos ajudam e tomam parte.

Quanto ao que me diz do Sacerdote que está em Fátima, penso também que não deve ter medo. Nós devemos pôr a nossa confiança em Deus e na protecção de Nossa Senhora. Nós somos apenas instrumentos muito fracos nas Suas Mãos, e de que Eles se servem para a Sua Glória; mas não deve o medo impedir-nos de servir para o que Eles quiserem.

Penso que não há-de ser nada difícil conseguir que o Santo Padre, na Televisão, reze o Terço com o Mundo. Depois de tudo bem organizado, já se vê. E se fosse em Fátima?! — Vamos trabalhar, e eu aqui, no meu convento, a rezar!

Um grande abraço da sempre dedicada e em união de orações.

Irmã Lúcia, i.c.d.

P.E. — Talvez que esse Sr. Padre, de quem me fala na sua carta, pudesse iniciar, na Rússia, a reza do Terço, escrevendo ao Patriarca de Moscovo.

***

J.M.J.T. 
Coimbra, 16-9-1970
Querida Madre Martins:

Pax Christi

Recebi a sua carta, que muito agradeço. Há muito que não recebia as suas notícias; e nem sabia bem como se encontrava de saúde, nem como tinha ficado depois da operação. Pelo que me diz, vejo que deveu ficar a sofrer bastante! É a penitência que o Senhor agora lhe pede; e estas, que Ele nos envia, são as mais custosas. Mas também são as que mais nos unem a Ele, que foi o Mártir das Dores.

Em também não tenho passado lá muito bem do coração, da vista, etc.; mas é preciso quem complete em si o que falta à Paixão de Cristo. É preciso que os Seus membros sejam um com Ele, pela dor física e pela angústia moral... Pobre Senhor, que nos salvou com tanto amor, e tão pouco compreendido é! Tão pouco amado! Tão mal servido! É doloroso ver tanta desorientação, e em tantas pessoas que ocupam lugares de responsabilidade!...

Temos nós, tanto quanto nos seja possível, que procurar reparar, por uma união cada vez mais íntima com o Senhor, identificar-nos com Ele, para que Ele seja, em nós, a luz do mundo mergulhado nas trevas do erro, da imoralidade e do orgulho. Faz-me pena ver o que me diz, do que também já por aí se passa!

... É que o demónio tem conseguido infiltrar o mal, com capa de bem, e andam cegos a guiar outros cegos, como nos diz o Senhor no seu Evangelho; e as almas vã-se deixando iludir.

De boa vontade me sacrifico, e ofereço a Deus a vida; pela paz da Sua Igreja, pelos sacerdotes e por todas as almas consagradas, sobretudo por aquelas que andam tão iludidas e tão transviadas! Pelos nossos Irmãos separados: Que Deus a todos dê luz e os traga ao bom caminho, — ao caminho da Verdade, que é Jesus Cristo.

Quanto ao que me diz da reza do Terço é uma grande pena! Porque a oração do Rosário ou Terço é, depois da Sagrada Liturgia Eucarística, a que mais nos une com Deus, pela riqueza das orações de que se compõe, todas elas vindas do Céu, ditadas pelo Pai, pelo Filho e pelo Espírito Santo.

A Glória, que rezamos em todos os mistérios, foi ditada pelo Pai aos Anjos, quando os enviou a cantá-la junto do Seu Verbo recém-nascido, e é um hino à Trindade.

O Pai-Nosso foi-nos ditado pelo Filho, e é uma oração dirigida ao Pai.

A Ave-Maria é, toda ela, impregnada de sentido Trinitário e Eucarístico: As primeiras foram ditadas pelo Pai ao Anjo, quando O enviou a anunciar o mistério da Encarnação do Verbo.

Ave-Maria, cheia de graça, o Senhor é convosco»: Sois cheia de graça porque em Ti reside a fonte da mesma Graça. É pela Tua união com a Santíssima Trindade, que Tu és cheia de graça.

Movida pelo Espírito Santo, disse Santa Isabel: «Bendita sois Vós, entre as mulheres, e bendito é o fruto do vosso ventre, Jesus»: Se sois bendita, é porque é bendito o fruto do vosso ventre, Jesus.

A Igreja, também movida pelo Espírito Santo, acrescentou: «Santa Maria, Mãe de Deus, rogai por nós, pecadores, agora e na hora da nossa morte»: Isto é também uma oração, dirigida a Deus através de Maria: Porque sois Mãe de Deus, roga por nós.

É oração trinitária, sim, porque Maria foi o primeiro Templo vivo da Santíssima Trindade: «O Espírito Santo descerá sobre Ti, — O Pai Te cobrirá com a Sua sombra, — E o Filho, que de Ti nascer, será chamado o Filho do Altíssimo».

Maria é o primeiro Sacrário vivo onde o Pai encerrou o Seu Verbo. O Seu Coração Imaculado é a primeira custódia que O guardou. O Seu regaço e os Seus braços foram o primeiro altar e o primeiro trono sobre o qual o Filho de Deus, feito homem, foi adorado. — Aí O adoraram os Anjos, os Pastores e os sábios da terra. Maria é a primeira que tomou em Suas mãos, puras e imaculadas, o Filho de Deus; o conduziu ao Templo, para oferecê-Lo ao Pai, como vítima pela salvação do mundo.

Assim, a oração do Terço é, depois da Sagrada Liturgia Eucarística, a que mais nos introduz no mistério íntimo da Santíssima Trindade e da Eucaristia; a que mais nos traz ao espírito os mistérios da Fé, da Esperança e da Caridade.

Ela é o pão espiritual das almas; Quem não ora, definha e morre. É na oração que nos encontramos com Deus, e é nesse encontro que Ele nos comunica a Fé, a Esperança e a Caridade: virtudes estas sem as quais não nos salvaremos.

O Terço é a oração dos pobres e dos ricos, dos sábios e dos ignorantes; Tirar às almas esta devoção, é tirar-lhes o pão espiritual de cada dia. O Terço é a que sustenta a pequenina chama da Fé, que ainda de todo se não apagou em muitas consciências. Mesmo para aquelas almas que rezam sem meditar, o simples acto de tomar o Terço para rezar é já um lembrarem-se de Deus, do Sobrenatural. A simples recordação dos mistérios, em cada dezena, é mais um raio de luz a sustentar, nas almas, a mecha que ainda fumega.
Por isso o Demónio lhe tem feito tanta guerra! E o pior é que tem conseguido iludir e enganar almas cheias de responsabilidade, pelo lugar que ocupam!
... São cegos a guiar outros cegos!... E querem apoiar-se no Concílio! E não vêm que o Sagrado Concílio ordenou que se conservem todas as práticas que no decorrer dos anos se vêm praticando em honra da Imaculada Virgem Mãe de Deus; e que a oração do santo Rosário, ou Terço é uma das principais a que, em face do ordenado pelo Sagrada Concílio e pelo Sumo Pontífice, estamos obrigados; isto é, devemos conservar. Eu tenho uma grande esperança: que não virá longe o dia em que a oração do santo Rosário e Terço sejam declaradas oração litúrgica. Sim, porque toda ela faz parte da Sagrada Liturgia Eucarística. Oremos, trabalhemos, sacrifiquemo-nos e confiemos que —

«Por Fim, O Meu Imaculado Coração Triunfará»!
Adeus, minha querida Irmã. Ainda cá está a imagem do Menino Jesus, que pertence à igreja do Santo Nome de Deus. Quando quiser, pode vir buscá-la.
Um grande abraço para a querida Madre Cunha Matos e para si, da sempre em união de orações.
Não conheço o livro de que me fala.

Irmã Lúcia i.c.d.

***

(Dois excertos de duas cartas)

...«O que alguns desorientados têm propalado contra a reza do Terço é falso.           
Mais antiga que a reza do Terço é a luz do sol, e eles não querem deixar de beneficiar do seu brilho e calor; mais antigos são os salmos, e eles, assim como as orações que constituem o Terço fazem parte da Sagrada Liturgia.

A repetição das Ave-Maria, Pai-Nosso e Glória, é a cadeia que nos eleva até Deus e a Ele nos prende, dando-nos a participação da Sua Vida divina em nós, — como a repetição dos pedacinhos de pão, de que nos alimentamos, nos sustenta a vida natural; e não chamos a isso coisa antiquada!

A desorientação é diabólica! Não se deixe enganar» (29-12-1969).

... « ... Que esse seu apostolado, assim como o de todos os nossos Irmãos e Irmãs, Missionários, seja para as almas a luz da Fé, que as guie pelo caminho da Verdade, da Esperança e do Amor! — Aquela luz de que nos fala o Senhor, no Seu Evangelho; «Vós sois a luz do mundo e o sal da terra».

É preciso, para isto, não se deixar arrastar pelas doutrinas dos desorientados contestadores... A campanha é diabólica. Precisamos fazer-lhe frente, sem meter-nos em conflitos: — Dizer, às almas, que agora, mais do que nunca, precisamos de orar por nós e pelos que são contra nós!

Precisamos de rezar o Terço todos os dias. É a oração que Nossa Senhora mais recomendou, como que prevenindo-nos para estes dias de campanha diabólica em contra! Sabe o demónio que é pela oração que havemos de nos salvar; e arma-lhe a campanha em contra, para nos perder. Agora que vai começar o mês de Maio, reze com o povo o Terço todos os dias. Não tenha receio de expor o Santíssimo e rezar na Sua presença o Terço.

É falso o que dizem, de que não é litúrgico: As orações do Terço, todas elas fazem parte da Santa Liturgia; e, se não desagradam a Deus, quando as rezamos celebrando o Santo Sacrifício, também Lhe não desagradam se as rezamos na Sua presença, quando está exposto à nossa adoração. Pelo contrário, é a oração que mais Lhe agrada, porque é aquela com que melhor O louvamos.

«Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo», — é a oração ditada pelo Pai aos Anjos, para eles cantarem junto do Presépio do Verbo feito carne: «Glória a Deus...» «Pai Nosso, que estais no Céu...»: a oração ensinada por Jesus Cristo à Humanidade; «Quando quiserdes orar, dizei: Pai Nosso, que estais no Céu...». E a Ave-Maria que é senão um louvor e uma prece dirigida a Deus? — «Ave-Maria, cheia de graça o Senhor é convosco»: Como se disséssemos; Eu te saúdo, Maria, não por Ti mas pelo Senhor que está contigo, pelo Senhor que em Ti habita e Te escolheu para Santuário vivo onde encerrou o Seu Verbo, Deus e Homem verdadeiro! Ajoelho-me na Tua presença, porque Tu és o primeiro Templo vivo habitado pela Santíssima Trindade! Bendito é o fruto do Teu ventre, porque esse Fruto é Jesus, Filho de Deus.  Em Ti O adoro, como no Sacrário; louvo, como na Hóstia, de que Tu és a Custódia! E já que Tu és uma custódia viva, Mãe de Deus e Mãe nossa, roga por nós, pobres pecadores, agora e na hora da nossa morte.

Que oração mais Eucarística poderemos nós rezar, se lhe damos o verdadeiro sentido? Não é rezar à toa, nem repetir em vão as mesmas palavras. O Evangelista diz-nos que Jesus Cristo, no Jardim das Oliveiras, orou ao Pai durante três horas, repetindo sempre as mesmas palavras; «Pai! Se é possível, afasta de mim este cálix; mas não se faça a Minha vontade, mas a Tua».

Ora, durante a reza do Terço, não estamos três horas repetindo as mesmas palavras. E, afinal, Deus, Criador de tudo quanto existe, ordenou que todos os seres criados se conservem mediate uma repetição contínua dos mesmos actos, movimentos e sons: Os astros giram sempre do mesmo modo; a terra em volta do mesmo eixo; o sol incide a sua luz e os seus raios do mesmo modo; as plantas brotam, dão flores e frutos, cada uma segundo a sua espécie, todos os anos do mesmo modo, etc.; e assim todos os mais seres que existem. Nós mesmos vivemos, respiramos e aspiramos, repetindo sempre o mesmo funcionamento orgânico. E assim tudo o mais. E a ninguém se lhe ocorreu ainda dizer que é uma maneira de viver antiquada! Porque então o há-de ser a oração que Deus nos ensinou e tanto nos tem recomendado?!

É fácil de ver aqui o ardil do demónio e dos seus sequazes, que querem afastar as almas de Deus, afastando-as da oração. É na oração que as almas se encontram com Deus, e é nesse encontro que Deus se dá às almas, comunicando-lhes as suas graças, as suas luzes e os seus dons. Por isso lhe fazem tanta guerra! Não se deixe enganar. Elucide as almas que lhe estão confiadas, e reze com elas o Terço, todos os dias; reze-o na igreja, nas ruas, nos caminhos e nas praças. Se lhe for possível, percorra as ruas, rezando e cantando o Terço com o povo; e termine, na igreja, dando a bênção com o Santíssimo. Isto, em espírito de oração e penitência, pedindo a paz para a Igreja, para as nossas Províncias Ultramarinas e para o mundo.

Estou certa de que, se fizer um apelo assim nesse sentido, as almas seguem-no e vão de boa vontade, porque as ovelhas seguem o seu pastor, quando ele as sabe guiar e conduzir pelo bom caminho.

P.S. — Suponho que tem conhecimento de que, ainda há pouco, o Santo Padre concedeu indulgência plenária a todos que rezarem o Terço diante do Santíssimo.

Irmã Lúcia do Coração Imaculado (4-4-1970)

Irmã Lúcia fala com o Padre Fuentes sobre o Terço

Com respeito ao Santo Rosário, Irmã Lúcia, falando com o Padre Fuentes na entrevista (autentica) de 26 de Dezembro de 1957, disse:

“Olhe, Senhor Padre, a Santíssima Virgem, nestes últimos tempos em que vivemos, deu uma nova eficácia à oração do Santo Rosário. De tal maneira que agora não há problema, por mais difícil que seja, seja temporal ou, sobretudo, espiritual – que se refira à vida pessoal de cada um de nós; ou à vida das nossas famílias, sejam as famílias do mundo sejam as Comunidades Religiosas; ou à vida dos povos e das nações –, não há problema, repito, por mais difícil que seja, que não possamos resolver agora com a oração do Santo Rosário.

“Com o Santo Rosário nos salvaremos, nos santificaremos, consolaremos a Nosso Senhor e obteremos a salvação de muitas almas.” 

---
Fonte: Fatima.org

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

A Ave-Maria e seus Frutos


O Bem-Aventurado Alano de La Roche, que era devotíssimo da Virgem Maria teve várias revelações dela e sabemos que ele confirmou a verdade destas revelações através de um solene juramento. Três delas possuem ênfase especial: a primeira, quando as pessoas não rezam a Ave Maria (a Saudação Angélica que salvou o mundo) com cuidado, ou porque elas estão entediadas, ou mesmo porque têm aversão a ela, é um sinal de que elas provavelmente e com certeza serão condenadas à punição eterna.

A segunda verdade é que aqueles que amam esta saudação divina possuem um sinal especial de predestinação.

A terceira verdade é que aqueles a quem Deus tem dado este sinal de amor à Nossa Senhora e de servi-la até a hora quando ela os colocar nos Céus através de seu Filho divino, no grau de glória que merecerem. (Bem-aventurado Alano, capítulo XI, parágrafo 2)

Os hereges, todos os que são filhos do mal e claramente possuem o selo de reprovação de Deus, têm horror à Ave-Maria. Eles ainda rezam o Pai-Nosso, mas nunca a Ave-Maria; eles prefeririam colocar uma cobra venenosa em volta de seu pescoço que um Escapulário ou carregar um Santo Rosário.

Entre os católicos, há aqueles que carregam a marca da reprovação de Deus, menosprezando o Rosário de vinte dezenas (mesmo o terço de cinco dezenas). Estes ora não o rezam, ora rezam-no rapidamente e sem devoção.

Mesmo que se não acreditasse no que foi revelado ao Bem-aventurado Alano de la Roche, mesmo assim minha experiência bastaria para me convencer desta terrível verdade. Não sei, nem compreendo totalmente, como pode uma devoção que pareça tão pequena ser o sinal infalível da salvação eterna e como a sua ausência possa ser o sinal do desagrado eterno de Deus; não obstante nada há de mais certo.

Em nossos dias, vemos que aquelas pessoas que professam doutrinas novas, que são condenadas pela Santa Madre Igreja, podem até ser piedosas, superficialmente, mas elas  desdenham o Rosário, e geralmente elas persuadem seus conhecidos a não o rezarem, destruindo assim seu amor por ele e sua fé nele. Ao fazer isto, elas elaboram desculpas que são até plausíveis aos olhos do mundo. São cautelosas a não condenar o Rosário e o Escapulário, como os calvinistas o fazem, mas a maneira que propõem a atacá-lo é mais mortífera porque é dissimulada. Trataremos disto a seguir.

Minha Ave-Maria, meu Rosário ou meu Terço, é a minha oração e a pedra de toque seguríssima pela qual eu posso distinguir a todos os que são levados pelo Espírito de Deus e aqueles que são enganados pelo demônio. Conheci almas que pareciam voar como águias por sobre as nuvens em uma contemplação sublime e que eram, contudo miseravelmente enganadas pelo diabo. Eu só percebi o quanto estavam erradas quando descobri que desdenhavam a Ave-Maria e o Rosário consideravam muito inferior a elas.

A Ave-Maria é um abençoado orvalho que cai dos Céus sobre as almas dos predestinados. E dá-lhes uma maravilhosa fertilidade espiritual a fim de poderem crescer em todas as virtudes. Quanto mais o jardim da alma é regado por esta oração, mais iluminado se torna o intelecto desta pessoa, e mais zeloso se torna seu coração, e mais se fortalece contra seus inimigos.

A Ave-Maria é uma flecha pontiaguda e ardente que, unida à Palavra de Deus, dá ao pregador a força de penetrar, mover e converter os corações duros mesmo que ele tenha pouco ou nenhum natural dom de pregação.

Como disse antes, este foi o grande segredo que Nossa Senhora ensinou a São Domingos e ao bem-aventurado Alano a fim de que eles convertessem os hereges e os pecadores.

Santo Antonino nos conta que era este o motivo pelo qual muitos pregadores se habituaram a rezar a Ave-Maria no início de seus sermões.

(O Segredo do Rosário – São Luís Mª Grignion de Montfort)

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

A estreita relação profética entre Fátima e o Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem


A mesma razão que levou o Inimigo de Deus a ter tamanho ódio deste pequeno livro (o Tratado da Verdadeira Devoção) e a escondê-lo durante 130 anos, fez com que a hierarquia da Igreja se sentisse pressionada a esconder o Terceiro Segredo de Fátima e apostasse no “aggiornamento” das doutrinas modernistas-progessistas do humanismo maçônico

Há um estreito e providencial elo de ligação entre a profecia de Fátima e o Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem, conforme propõe São Luis Maria Grignion de Montfort.

Na introdução do Tratado, diz São Luis: “Foi por meio da Santíssima Virgem que Jesus Cristo veio ao mundo e por meio dela que Ele deve reinar no mundo” (T.V.D. – 1). Todos sabemos que Jesus Cristo reinará no mundo, conforme Ele próprio assegurou, contudo, o “Reinado de Maria” será o meio pelo qual se dará o “Reinado de Jesus”.

E é exatamente em Fátima, a profecia do Céu para os nossos tempos, onde a Santíssima Virgem confirma claramente a profecia de São Luis Maria quando afirma: “Por fim Meu Imaculado Coração triunfará”.

E mais: a Mãe do Senhor indica claramente o meio pelo qual a Providência Divina estabeleceu para que aconteça este Triunfo: “Meu Filho quer estabelecer no mundo a devoção ao meu Imaculado Coração”.

Recapitulando as maternais solicitações da Santíssima Virgem em Fátima

Antes, porém, de nos aprofundarmos no sentido dessa “devoção” ao Imaculado Coração, que Jesus “quer estabelecer em todo o mundo”, recordemos o que Nossa Senhora nos pediu em Fátima. Suas maternais solicitações foram as seguintes:

- Rezar pelo menos um Terço todos os dias para obtenção da paz nas famílias e no mundo —lembrando que o Santo Rosário nos leva a contemplar os mistérios da vida, missão, morte e ressurreição de Nosso Senhor;
- Usar o Escapulário castanho como sinal de prometida proteção contra as forças do mal que laboram para perder nossas almas;
- Oferecer a Deus os nossos deveres de cada dia, como um ato de sacrifício e voluntária adesão pessoal ao supremo sacrifício de Cristo para a conversão dos pecadores;
- Fazer os Cinco Primeiros Sábados, em reparação das ofensas cometidas contra o Seu Imaculado Coração, e assim, termos em mente que os nossos pecados ofendem gravemente a Deus;
- Pediu também que o Santo Padre, em união com todos os Bispos do mundo, fizesse a Consagração da Rússia ao Seu Imaculado coração, prometendo que, deste modo, a Rússia se converteria e que seria concedido ao mundo algum tempo de Paz.

Sabemos que a consagração da Rússia não foi feita conforme a solicitação da Virgem (com o Papa unido a todos os Bispos do mundo) e muito menos a Rússia se converteu.

Fonte:

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Catecismo Doutrina Cristã

Estimados leitores,
Ave Maria Puríssima.

É com grande alegria que comunico o lançamento do Catecismo Doutrina Cristã tendo como anexo o Catecismo Anti-Comunista e um resumo das Cinco provas da Existência de Deus. Total de 120 páginas.

Agradeço de coração a todos os colaboradores pela paciência, as Irmãs Escravas de Maria pelo empenho e trabalho, ao dono da gráfica sempre muito generoso e a todos os que forma direta ou indireta ajudaram nesse projeto.

Obs: Foi enviado um e-mail para todos os colaboradores com o número de rastreamento dos livros. Caso alguém tenha algum problema com o recebimento, reclamação ou não recebeu e-mail, entre em contato comigo: agrandeguerra@gmail.com

_________________

Aproveito o ensejo para comunicar que o blogue A grande guerra não mais atuará com projetos para a feitura de livros, mas peço encarecidamente que ajudem as Irmãs nesse apostolado com doações e orações. O blogue A grande guerra se dedicará exclusivamente à divulgação de livros para formação feminina e educação infantil e o seu ritmo de publicação não será tão ativo como nos últimos anos. Todavia, continuará com o trabalho e deixo à disposição todas as 4010 postagens (quantia constatada até a data de hoje) para uso de qualquer apostolado cristão desde que o conteúdo não seja adulterado. Não faço questão que citem a fonte, viso apenas a santificação das famílias e maior glória de Deus.
  • Aos que quiserem adquirir o catecismo Doutrina Cristã informo que o valor dele é de R$ 11,00  (a unidade) e com o frete (para território brasileiro) R$ 14,00 (livro + frete).
  • O Kit com 7 livros sai por R$ 53,00 (já com frete incluso).
1- Pensamentos para cada dia do ano de Santa Teresinha
2- Orientações para a alma que quer ser perfeita
3- Seleta de textos sobre a modéstia
4- O Segredo Admirável do Santíssimo Rosário (tradução do francês)
5- O Marido, o Pai, o Apóstolo (formação para homens)
6- Catecismo ilustrado para crianças
7- Doutrina Cristã

Como fazer seu pedido?

  • 1.º Passo: Mande um e-mail para agrandeguerra@gmail.com informando a quantidade e quais livros deseja e o seu endereço;
  • 2.º passo: responderei o e-mail com o valor (já com desconto) e passando o número da conta para depósito (a única forma de pagamento);
  • 3.º passo: Assim que fizer o depósito me informe os dados como: valor, data e horário e eu enviarei os livros para o endereço informado e passarei o número de rastreamento.