quinta-feira, 17 de março de 2016

De como vencermos as tentações e artimanhas demoníacas


À noite, os demônios fizeram tal alarido que o local tremeu fortemente. As paredes da pequena habitação estavam quase rompidas, e os demônios metamorfoseados em animais e répteis, encheu o local de espectros de leões, ursos, leopardos, serpentes, víboras, escorpiões, e cada animal se comportando segundo a sua natureza, ameaçadoramente.
Gemendo com suas dores Antão permanecia deitado na terra, apreensivo com o acontecimento, mas não se mostrava apavorado e nem revelava medo. 
Mantinha-se vigilante e falou para os demônios: “Se tivésseis algum poder, bastaria que viesse apenas um de vós para me estraçalhar e acabar comigo. Mas vieram em quantidade! Isso é sinal de fraqueza, principalmente imitando formas de animais. Se não podem fazer nada contra mim por que vos se perturbam em vão? Minha fé no SENHOR é o meu selo de garantia e minha proteção”. 

Depois de várias tentativas, sem sucesso, os diabos rangeram os dentes e desapareceram.
Naquele mesmo momento, acomodando-se melhor no chão e olhando para o teto da capela, viu que ele se abria e um raio de luz vindo do Céu desceu sobre o seu corpo, como que a consolá-lo. 
Respirando aliviado pelas dificuldades passadas, sentiu uma imensa paz envolver o seu coração. 
Sentiu em plenitude a presença de DEUS. Então perguntou: “Onde estavas SENHOR? Por que não vieste antes para fazer cessar as minhas dores”? 
Ouviu-se uma voz suave e firme: “EU estava aqui, Antão. Vim para vê-lo combater. Já que perseverastes e resististes, serei sempre o teu socorro e tornar-te-ei célebre em toda parte”. 
A luz se afastou e o teto da capela voltou ao normal, o dia começava a amanhecer.
.
Anos depois, em um sermão para os monges, disse:
"Eles invejam os cristãos e movem tudo, para fechar o nosso acesso ao Céu. Por isso, temos necessidade de orações e ascese, para mediante o carisma do discernimento dos espíritos, recebido do ESPÍRITO SANTO, possamos conhecer as suas atuações e especialidades, e saber como podemos vencê-los e rejeitá-los. 
Desse modo, a experiência de suas tentações deve servir para nos ajudar a nos precaver de suas insídias.
Quando os demônios vêem os cristãos, sejam quais forem, e principalmente se são Monges que trabalham e progridem, os atacam e armam ciladas terríveis, primordialmente os maus pensamentos. E para enfrentar as ciladas do maligno, alcançaremos êxito somente com orações, os jejuns e a fé no SENHOR. 
Mas vencidos por nossas reações, o demônio não desiste e retorna logo em seguida com astúcia e outras tramoias. Não podendo desviar o coração pelo prazer e pela malicia, se metamorfoseiam, com feições de mulheres, de sacerdotes, de animais, e de serpentes. 
Para vencermos as tentações e artimanhas demoníacas é necessário permanecermos vigilantes e em orações. Na verdade, o maligno mesmo se julgando forte, eles são fracos e covardes. Mentem sempre, nunca dizem a verdade, eles não conseguem destruir a alma sincera e piedosa, o único efeito que conseguem é assustar com sua presença repugnante e asquerosa.

Fonte:

Nenhum comentário:

Postar um comentário