quinta-feira, 21 de março de 2019

Catecismo Ilustrado - Parte 50 - 9º Mandamento de Deus: Não desejar a mulher do próximo



Catecismo Ilustrado - Parte 50

Os Mandamentos

9º Mandamento de Deus: Não desejar a mulher do próximo

1. Deus neste mandamento proíbe todo o desejo que contamina a pureza da alma.

2. Comprazer-se num pensamento contra a pureza é também pecado, e chamado pecado de complacência.

3. Há obrigação de confessar-se dos pecados de pensamento com todos os casos e com todas as circunstâncias que são necessárias.

4. Aquele que é atormentado por maus pensamentos deve rezar para pedir o divino auxílio e estar vigilante para não cair em tentação.

5. Este mandamento prescreve que conservemos o coração puro de toda a mácula, e que nos exercitemos na mortificação dos sentidos para reprimir a concupiscência.

6. A concupiscência é um certo impulso do ânimo pelo qual o homem é levado a desejar coisas deleitosas.

7. A concupiscência é pecado quando nos leva a desejar coisas proibidas pela lei de Deus, ou a deleitar-nos em tais coisas, ou consentir nelas e não as rejeitar.

8. Há mau desejo quando queremos praticar o mal, se fosse possível. Há mau pensamento quando imaginamos o mal sem intenção de o praticar.

O mau desejo é um pecado, ainda que se não execute, porque não temos o direito de desejar o que não é permitido fazer. O mau pensamento é pecado, quando consentido, ainda que não haja o desejo de executá-lo.

Explicação da gravura

9. A gravura representa, ajoelhada diante de Nosso Senhor, uma mulher que, levada por um mau desejo, cometera um adultério. O Evangelho narra assim o fato: “Jesus foi para o monte das Oliveiras. Ao romper da manhã, voltou para o templo e todo o povo foi ter com Ele, e Ele, sentado, os ensinava. Então os escribas e os fariseus trouxeram-Lhe uma mulher apanhada em adultério; puseram-na no meio, e disseram-Lhe: “Mestre, esta mulher foi surpreendida em flagrante delito de adultério. Ora Moisés, na Lei, mandou-nos apedrejar tais mulheres. E Tu que dizes?” Diziam isto para Lhe armarem uma cilada, a fim de O poderem acusar. Porém, Jesus, inclinando-Se, pôs-Se a escrever com dedo na terra. Continuando, porém, eles a interrogá-Lo, levantou-Se e disse-lhes: “Aquele de vós que estiver sem pecado seja o primeiro que lhe atire uma pedra”. Depois, tornando a inclinar-Se, escrevia na terra. Mas eles, ouvindo isto, foram se retirando, um após outro, começando pelos mais velhos; e ficou só Jesus com a mulher diante Dele. Então, levantando-se, disse-lhe: “Mulher, onde estão os que te acusavam? Ninguém te condenou?”. Ela respondeu: “Ninguém, Senhor”. Então Jesus disse: “Nem Eu te condeno, vai e doravante não peques mais”.” (João VIII, 1-7)

10. Em baixo à esquerda, vê-se o rei David e o profeta Nathan que o censura pelo adultério cometido com Betsabé. À esquerda está representado a parábola de que se serviu Nathan para fazer a David a enormidade do seu crime: “Havia numa cidade (do teu reino) dois homens, um rico e outro pobre. O rico tinha nove ovelhas e bois em grande número. O pobre, porém, não tinha coisa alguma, senão uma ovelhinha, que comprara e criara, e que tinha crescido em sua casa juntamente com seus filhos. Tendo chegado um hóspede a casa do rico, não querendo este tocar nas suas ovelhas para dar um banquete ao hóspede, que lhe tinha chegado, roubou a ovelha do pobre. David, sumamente indignado contra tal homem, disse a Nathan: “Viva o Senhor, um homem que tal fez é digno de morte”. Então Nathan disse a David: “Tu és esse homem. Eis o que diz o Senhor Deus de Israel: “Eu te ungi rei sobre Israel, e te livrei da mão de Saul, dei-te a casa do teu senhor, com todos os seus bens. Porque desprezaste, pois, a palavra do Senhor, até cometeres o mal diante de meus olhos? Fizeste perecer à espada Úrias Heteu, e tomaste para tua mulher a que era sua mulher, e mataste-o com a espada dos filhos de Amon. Por esta razão não se apartará jamais a espada da tua casa, porque me desprezaste, tomando a mulher de Úrias Heteu, para ser tua mulher”. Em castigo do teu crime o Senhor se vingará na tua própria família. Eis pois o que diz o Senhor: “Eu suscitarei da tua mesma casa o mal sobre ti... Tu procedeste ocultamente, mas eu farei estas coisas à vista de toda Israel, à luz do sol”.” David disse a Nathan: “Pequei contra o Senhor”.” (II Samuel XII, 1-4)

Nenhum comentário:

Postar um comentário