sábado, 11 de agosto de 2018

Catecismo Ilustrado - Parte 44 - 6º Mandamento de Deus: Guardar Castidade



Catecismo Ilustrado - Parte 47

Os Mandamentos

6º Mandamento de Deus: Guardar Castidade

1. O sexto mandamento proíbe todas as ações, vistas e palavras contrárias à castidade.

2. Castiga Deus os pecados contra a castidade de muitos modos, mas especialmente com a cegueira da alma, pena gravíssima, a qual faz que um homem dominado pelo vício da desonestidade não olhe nem a Deus, nem a própria honra, nem mesmo a própria vida.

3. Para evitar este vício vergonhoso, deve-se fugir: 1º da ociosidade; 2º da gula; 3º das vistas licenciosas; 4º da vaidade e da imodéstia no vestir; 5º dos livros e espetáculos desonestos; 6º das cantigas lascivas; 7º das danças e posturas indecentes etc.

4. Este mandamento ordena-nos a castidade da alma e do corpo. Para adquirir e conservar a castidade deve-se: 1º pedi-la amiudadas vezes a Deus, de Quem é dom especial; 2º frequentar os sacramentos; 3º ser devoto de Maria Santíssima; 4º afligir o corpo com jejuns e mortificações.

5. O pecado contra a castidade é gravíssimo: 1º porque mais do que qualquer outro pecado destrói em nós a imagem e semelhança de Deus, tornando-nos semelhantes aos animais; 2º porque profana os nossos corpos que são membros de Jesus Cristo e templos do Espírito Santo.

6. Nosso Senhor declara que o demônio da impureza não se expulsa senão pelo jejum, a mortificação e a oração. Um homem dentre o povo disse a Jesus: “Mestre, trouxe-te o meu filho, que tem um espírito mudo; e este, onde quer que o apanhe, despedaça-o, e ele espuma, e range os dentes, e vai definhando; e eu disse aos teus discípulos que o expulsassem, e não puderam”. E ele, respondendo-lhes, disse: “Ó geração incrédula! Até quando estarei convosco? até quando vos sofrerei ainda? Trazei-mo”. E trouxeram-lho; e quando ele o viu, logo o espírito o agitou com violência, e, caindo o endemoninhado por terra, revolvia-se, escumando. E perguntou ao pai dele: “Quanto tempo há que lhe sucede isto?” E ele disse-lhe: “Desde a infância. E muitas vezes o tem lançado no fogo, e na água, para o destruir; mas, se tu podes fazer alguma coisa, tem compaixão de nós, e ajuda-nos”. E Jesus disse-lhe: “Se tu podes crer, tudo é possível ao que crê”. E logo o pai do menino, clamando, com lágrimas, disse: “Eu creio, Senhor! Ajuda a minha incredulidade”. E Jesus, vendo que a multidão concorria, repreendeu o espírito imundo, dizendo-lhe: “Espírito mudo e surdo, eu te ordeno: Sai dele, e não entres mais nele”. E ele, clamando, e agitando-o com violência, saiu; e ficou o menino como morto, de tal maneira que muitos diziam que estava morto. Mas Jesus, tomando-o pela mão, o ergueu, e ele se levantou. E, quando entrou em casa, os seus discípulos lhe perguntaram à parte: “Por que o não pudemos nós expulsar?” E disse-lhes: “Esta casta não pode sair com coisa alguma, a não ser com oração e jejum”.” (Marcos IX, 16-29)

Explicação da gravura

7. Na parte superior, está representado o dilúvio, no qual pereceram todos os homens, exceto Noé e a sua família. Deus enviou esse terrível castigo para punir os homens que se entregavam a todos os crimes, particularmente ao da impureza. Noé, que era virtuoso, salvou-se dentro da arca.

8. Vê-se inferiormente o incêndio de Sodoma e Gomorra, cidades que foram destruídas por Deus em castigo do pecado de impureza.

9. Vê-se na parte inferior à direita Sansão que, cego pela paixão, revelou a Dalila o segredo da sua força. Esta mulher infame mandou-lhe cortar os cabelos, entregando-o aos filisteus que lhe queimaram os olhos e o condenaram a mover a mó dum moinho.

10. À esquerda veem-se dois filhos de Jacob matando o rei Sichen que desonrara uma sua irmã.

Nenhum comentário:

Postar um comentário