quinta-feira, 14 de junho de 2018

Catecismo Ilustrado - Parte 41 - 5º Mandamento de Deus: Não matar

Catecismo Ilustrado - Parte 41

Os Mandamentos

5º Mandamento de Deus: Não matar

1. Este mandamento proíbe matar injustamente o nosso semelhante, e também o matar-se alguém a si mesmo.

2. Dizemos injustamente, porque há casos em que pode ser lícito matar alguém, como seria em própria defesa, numa guerra justa ou por sentença de magistrados.

3. Não é somente réu de homicídio aquele que mata com as próprias mãos; também o é quem para ele concorre com ordens, conselhos, auxílio, ou de qualquer outro modo.

4. Nunca é permitido matar-se alguém a si mesmo, por mais infeliz que seja, porque a nossa vida pertence a Deus e só Ele tem direito a lhe pôr termo.

5. Aquele que se mata a si expõe-se à maior das desgraças, porque ordinariamente não tem tempo para fazer penitência do seu crime e cai sem recurso na condenação eterna.

6. O matar alguém, chama-se homicídio, o matar-se a si mesmo chama-se suicídio.

7. O suicídio é um crime tão grande, que a Igreja recusa a sepultara cristã àquele que se suicida, quando se sabe ao certo que gozava das suas faculdades.

8. Desejar a morte a alguém é pecado, quando é por ódio, impaciência, ou outro afim interesseiro e mau.

9. Não é permitido abreviar a vida d’alguém com o fim de acabar com os seus sofrimentos.

10. Nunca é lícito, nem mesmo à autoridade pública, matar um inocente, ainda que o bem comum o exigisse e que o inocente o consentisse, porque ninguém é senhor de sua vida.

11. Não nos é lícito desejar a morte a não ser para gozarmos a presença de Deus no Céu ou ainda para não o tornar a ofender na Terra.
12. Os que se desafiam a duelo cometem dois crimes, porque se expõem a si próprios à morte, e procuram matar os outros.

13. As testemunhas dos que se batem em duelo são tão culpadas como aqueles, porque autorizam o duelo com a sua presença.

14. Diz Nosso Senhor no Evangelho: “Ouvistes que foi dito: amarás o teu próximo e odiarás o teu inimigo. Eu, porém, digo-vos: amai os vossos inimigos, fazei bem aos que vos odeiam, e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem. Deste modo sereis filhos do vosso Pai que está nos Céus, o qual faz nascer o sol sobre os maus e bons, e manda a chuva sobre os justos e injustos. Porque, se amais somente os que vos amam, que recompensa haveis de ter? Não fazem os publicanos também o mesmo? E se saudardes somente os vossos irmãos, que fazeis de especial? Não fazem também assim os próprios gentios? Sede, pois, perfeitos, como vosso Pai celestial é perfeito”. (Mat. V, 43-48)

15. Este mandamento proíbe também o ódio e a vingança.

Explicação da gravura

16. Na parte superior, está representado Caim que acaba de matar seu irmão Abel. Quando procura fugir, chama-o Deus, censura-lhe o crime cometido, lança-lhe a maldição e expulsa-o da sua presença. Foi a inveja que causou este primeiro homicídio.

17. Na parte inferior direita, vê-se Architophel que se enforcou na sua casa depois de ter levado Absalão a revoltar-se contra o rei David, seu pai, com o fim de usurpar o trono.

18. Na parte inferior esquerda, estão representados dois homens que se desafiaram para um duelo. Chega um bom cristão que, interpondo-se, os acalma e lhes mostra a Cruz da qual Nosso Senhor os vê e condena o seu procedimento.
Índice das sessenta e oito gravuras


Nenhum comentário:

Postar um comentário