quarta-feira, 9 de março de 2011

Segunda Rosa - Origem



Origem

Desde que o Rosário foi composto, em princípio e em substância, pela Oração de CRISTO (PAI Nosso) e a Saudação Angélica (Ave Maria), sem dúvida, constitui a primeira devoção dos fiéis e tem sido usado pelos séculos, desde o tempo dos apóstolos e discípulos até o presente.

Mas foi somente no de 1214, que a Santa Madre Igreja recebeu o Rosário na sua forma presente e de acordo com o método que usamos hoje. Ele foi dado a Igreja por São Domingos que o recebeu da Bem-aventurada Virgem como um meio poderoso de converter os albigenses e outros pecadores.

Vou contar-lhes a história de como ele o recebeu, que é encontrada no conhecidíssimo livro “De Dignitate Psalterri” do Bem-aventurado Alano de La Roche.  (A importância e Beleza do Santo Rosário, pelo Bem-aventurado Alano de La Roche, O.P., Padre Dominicano Francês e Apóstolo do Santo Rosário).

                “Vendo São Domingos que a gravidade dos pecados dos homens estava obstruindo a conversão dos albigenses, adentrou-se numa floresta perto de Tolosa onde orou incessantemente por três dias e três noites. Durante este tempo, ele não fez nada a não ser chorar e fazer duras penitências a fim de apaziguar a ira do Poderoso Deus. Ele se utilizou de disciplina tão drástica que seu corpo estava dilacerado e finalmente caiu em coma.

                Nesta hora Nossa Senhora apareceu-lhe, acompanhada de três Anjos, e lhe disse:

                “Querido Domingos, você sabe de que arma a SANTÍSSIMA TRINDADE quer usar para mudar o mundo?”

São Domingos respondeu: “Oh, minha Senhora, vós sabeis bem melhor do que eu pois, depois de vosso Filho JESUS CRISTO, vós tendes sido sempre o principal instrumento de nossa salvação.”

                Nossa Senhora respondeu-lhe: “Quero que saibas que, a principal peça de combate tem sido sempre o Saltério Angélico que é a pedra fundamental do Novo Testamento. Assim quero que alcances estas almas endurecidas e as conquiste para DEUS, com a oração do meu Saltério.”

                Então ele levantou-se muito consolado, e inflamado de zelo pela conversão dos homens naquele distrito e dirigiu-se diretamente à Catedral. Imediatamente, Anjos invisíveis tocaram os sinos a fim de ajuntar as pessoas e São Domingos começou a pregar. Assim que iniciou seu sermão, desencadeou-se uma tempestade terrível, a terra tremeu, o sol se escureceu, houve tantos trovões e raios que todos ficaram muito temerosos. Ainda maior foi o seu medo quando olharam à imagem de Nossa Senhora, exibida em local privilegiado, e a viram levantar os braços em direção aos Céus, três vezes, para acalmar a vingança de Deus sobre eles, caso eles falhassem em se converter, arrumar suas vidas e procurar a proteção da Santa Mãe de Deus.

                DEUS quis, por meio destes fenômenos sobrenaturais, espalhar a nova devoção do Santo Rosário e fazer com que este fosse mais vastamente divulgado.

                Por fim, graças a oração de São Domingos, a tempestade acabou, e ele continuou a pregação. Foi tão grande o fervor e entusiasmo de sua explicação sobre a importância e valor do Santo Rosário que quase todas as pessoas de Tolosa abraçaram-no renunciando as falsas crenças. Em pouco tempo, uma grande transformação foi percebida na vila; e as pessoas começaram a converter-se e a viver uma vida Cristã.  

 6º Capitulo - Extraído do Livro "O Segredo do Rosário" São Luiz M. Grignion de Montfort

Um comentário:

  1. Estou muito feliz desde que conhece o livro e estou fazendo um verdadeiro trabalho de evangelização em cima desta riqueza espiritual.

    ResponderExcluir