quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Direção dos Jovens



Porque é particularmente importante a direção da juventude?

. - A mocidade é o tempo do entusiasmo. Os generosos ardores que nesta idade refervem no fundo da alma são energia fecunda que não podemos deixar desperdiçar, quanto mais resvalar para o mal... Canalizá-los antes para bem da virtude, será um prodígio de sábia direção.

2º. - A inexperiência fomenta na adolescência inúmeros perigosPrecisa, portanto, de socorro a jovem inteligente para evitar as ciladas, que sob encantadora e falaz aparência, encontra no caminho.

3º. - Diz a Escritura: “adolescens juxta viam suam, etiam - cum senuerit, non recedet ab ea.” A primavera da vida tem sobre a vida inteira repercussão profunda e estende até a extrema senectude a influência da sua orientação. Veja-se, por conseguinte, quanto é necessário estimular para o bem o, ardor e a generosidade dessa quadra da vida. 

4º. - Reservou para si o Senhor em todo o tempo as primícias de todas as coisas. Mais um motivo para consagrar ao Criador as primícias das criaturas mais perfeitas, imagens Suas e semelhanças. 

Disposições que importa inculcar à mocidade cristã 

. - A nobilíssima paixão da pureza: é o que basta para preservá-la dos naufrágios fatais que a ameaçam... Despertam impetuosas na puberdade as paixões; os primeiros jatos das suas chamas imundas arremessam-se terríveis e inundam todo o ser com emanações fumegantes asfixiativas. Se não se encontra no seu posto a sentinela, para por embargo ao fogo, que alastra, o incêndio lavrará, de modo inextinguível, e serão, tristes, lúgubres, a derrocada e os escombros...; e sobre os destroços das faculdades devastadas, virão bater em vão os restos da  e da religião abaladas

Contraria contrariis curanturAos ferozes impulsos da paixão impura oponha-se o amor nobilíssimo da virtude da purezaé entusiasta a alma na mocidade, e abre-se de bom grado a sentimentos generosos... Ao diretor, portanto, compete haver o dom e arte de apresentar as coisas... , de fazer entrever lá no alto, por cima das estrelas, uma virtude que cintila... uma virtude que os Anjos conservam ciosamente como um privilégio da sua natureza... , uma virtude que o Cordeiro Imaculado cobre de honras e felicidade... , que imprime aos hinos do paraíso mais jubilosa harmonia e ao triunfal, cortejo do Rei da glória mais deslumbrante esplendor... , uma virtude que seduz todos os seres, o universo inteiro. 

É uma arte levantar os corações a regiões tão sublimes, arremessar as almas juvenis a cimos tão vertiginosos e, apelando para a sua audácia, fazer vibrar no fundo dos seus corações um retumbante “sursum”!... Avante! conquistemos esse tesouro, levemos até às nuvens o nosso esforço e tragamos de lá, como troféus, as vestes cândidas e fulgurantes da virtude angélica! Jovens houve que, fascinados pela beleza desta virtude, viveram no mundo como Anjos, apresentando aos olhares do céu e da terra o espetáculo sublime, de que o Espírito Santo faz o elogio inflamado: “quam pulchra est casta generatio cum claritate” 

2º. - O valor. Exerce-se e retempera-se nas lutas heróicas da virtude da pureza, mas necessita de mais vasto campo de ação e, mais tangível; necessário não é procurá-lo muito longe... a Igreja, tão atribulada nos tempos que correm, demanda soldados, atletas generosos para defender a sua doutrina, vingar seus direitos e dilatar a sua influência.

Vasta arena, sem dúvida, para a juventude expandir os seus ardores e exercer o seu valor!... Procurem os adolescentes lugar nestas obras admiráveis, que fizeram surgir com uma fecundidade verdadeiramente mágica as modernas necessidades... Conseguirá, portanto, o Diretor dos seus jovens penitentes, que se enfileirem, segundo o talento, as aptidões, a saúde, a influência social no vasto trabalho, que empreende em todos os domínios que confinam com a Religião, a ação católica... E para que seja durável o seu concurso, infunda-lhes na alma, não só o ardor e zelo legítimo, mas também o desinteresse que se sacrifica e desprende. Não compreenderia o seu dever de educador e de apóstolo da Igreja, o padre que deixasse estiolar na inação ou em ação egoísta, os germens de atividade e dedicação, que geralmente distinguem a natureza juvenil. 

3º. - O amor de Jesus Cristo e da Igreja. É este o foco que verdadeiramente alimenta o valor cristão. Sobre o amor de Jesus; escreveu páginas incomparáveis o autor da Imitação de Cristo, que importa leiam e releiam os adolescentes. Jesus ama a juventude:intuitus delexit eumamem-no por sua vez os jovens e à sua Igreja, com as chamas ardentes do, mais, devotado amor

Este será tanto mais espontâneo, quanto mais puro for o coração, donde transborde. E se aprenderem a tomar gosto pelo Evangelho, a saboreá-lo nos seus segredos admiráveis! Tem páginas que cativam, levantam, dilatam e absorvem. 

Eis como, servir a Jesus Cristo e à Igreja se tornará a sua mais veemente ambição, consumir nesta empresa toda a energia e ardor, o mais suave e reconfortante prazer!

(A Arte da Direção das Almas, Versão de A.A.P, com imprimatur, 1925)

Fonte

Nenhum comentário:

Postar um comentário