segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

V Parte - O jovem instruído na prática de seus deveres religiosos - São João Bosco

V Parte
Meios de perseverança
I. O que devem fazer especialmente os jovens
  
ARTIGO I.
Como se ao de haver nas tentações

            Também na vossa tenra idade, amados jovens o demônio vos arma laços para vos cair em pecado e assim tornar a vossa alma sua escrava e inimiga de Deus. Deveis pois vigiar atentamente para não sucumbirdes quando fordes tentados, isto é, quando o demônio vos instiga a fazer mal.
 
Muito contribuirá a preservar-vos das tentações o evitar as ocasiões, as más conversas e os espetáculos públicos, onde não há nada de bom e de onde sempre vem algum dano á alma.Procurai estar sempre ocupados no vosso ofício, no estudo, no canto, na música e quando não tendes nada para fazer, armai altarzinhos, arranjai imagens ou quadros ou ide entreter-vos algum tempo em diversões honestas, bem entendido, com licença dos pais.Faze com que o demônio não te encontre nunca desocupado, diz São Jerônimo.

            Quando fordes tentados, não espereis que a tentação se apodere de vosso coração, mas fazei logo uma coisa para livrar-vos dela, ou pelo trabalho ou pela oração. E se a tentação continuar, fazei o sinal da cruz, beijai algum objeto, bento dizendo: Maria, auxílio dos cristãos, rogai por mim; ou então: São Luis, fazei com que não ofenda o meu Deus. Indico-vos este santo, porque foi proposto pela Igreja como padroeiro especial e modelo da juventude. Ele, com efeito, para vencer as tentações, fugia de todas as ocasiões; jejuava frequentemente a pão e água, açoitava-se de tal forma que as roupas, as paredes e o chão ficavam salpicados de seu sangue inocente. Foi assim que são Luis obteve uma completa vitória sobre todas as tentações. Assim a obtereis também vós, se procurardes imitá-lo ao menos na mortificação dos sentidos, especialmente na modéstia, e se vos encomendardes de coração a ele quando fordes tentados.


ARTIGO II.
Remédios para algumas ciladas de que o
demônio usa para enganar a mocidade

            O primeiro laço que o demônio costuma armar-vos para alcançar a ruína das vossas almas, é sugerir-vos o pensamento de que será muito difícil que durante quarenta, cinquenta ou sessenta anos, que vos promete de vida, possais caminhar pela difícil vereda da virtude, sempre afastados dos prazeres.

            Quando o demônio nos sugerir este pensamento, respondei-lhe: Quem me assegura que eu chegue a essa idade?A minha vida está nas mãos de Deus; pode ser que um dia de hoje seja o último da minha vida.Quantos da minha idade estavam ontem alegres, cheios de vida e de saúde e hoje são levados á sepultura!Quantos meus companheiros desapareceram deste mundo na flor dos anos!E não poderia acontecer isto também a mim!E mesmo quando tivéssemos que trabalhar alguns anos para Nosso Senhor, não teremos uma recompensa extraordinária na eternidade de glória e de gozo, no Céu!Além disto, nós vemos que os que vivem na graça de Deus estão sempre alegres e também no tempo das aflições têm o coração feliz.Pelo contrário, os que se entregam aos prazeres vivem mal humorados, inquietos e por mais que se esforcem em achar a paz nos seus divertimentos, sentem-se cada vez mais infelizes: Non est pax ímpiis, diz Nosso Senhor.
 
Acrescentará alguém: Somos moços; se começamos a pensar na eternidade, no inferno, isto nos tornará melancólicos e pode até dar-nos volta ao juízo.De acordo, que o pensamento de uma eternidade feliz, o pensamento de um suplício que não há de acabar nunca mais, seja um pensamento triste e aterrador.Dizei-me porém: Se só o pensar nisto pode dar volta ao juízo, que seria se para lá fossemos realmente? Melhor será portanto pensar nisso agora, para não cair no futuro, pois é certo que se nisso pensarmos bem, não cairemos em tamanha desgraça.Observai porém que se é triste o pensamento do inferno, enche-nos de consolação a esperança daquele Paraíso onde se gozam todos os bens.Por isso é que os Santos, enquanto pensavam seriamente na eternidade das penas, viviam em grande alegria, com a firme esperança em Deus de serem delas preservados e de chegar um dia a posse dos bens infinitos, que Nosso Senhor reserva a quem o serve.Animo pois, ó meus caros, começai a servir ao Senhor e experimentareis quanto é doce e agradável o seu serviço e de quanta consolação encherá ele o vosso coração no tempo e na eternidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário