terça-feira, 1 de maio de 2018

PRIMEIRO DIA – A PREDESTINAÇÃO DA SANTÍSSIMA VIRGEM


ORAÇÕES PARA TODOS OS DIAS DO MÊS
Oração preparatória
Abri, Senhor, a minha boca para louvar o vosso Santo Nome. Purificai também o meu coração de todos os vãos, perversos e estranhos pensamentos, iluminai meu entendimento, inflamai minha vontade para que digna, atenta e devotamente possa fazer esta devoção e mereça ser atendido diante de vossa Divina Majestade. Por Jesus Cristo, Senhor Nosso. Amém.
V. Sede em meu favor, Deus onipotente.
R. Em me socorrer sede diligente.
V. Glória seja ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo também.
R. Como era no princípio, seja agora e sempre. Amém.
Invocação ao Espírito Santo
Vinde, Espírito Santo, enchei os corações dos vossos fiéis e acendei neles o fogo de vosso amor.
V. Senhor, enviai o vosso Espírito e tudo será criado.
R. E renovareis a face da terra.
ORAÇÃO
Ó Deus, que instruístes os corações dos vossos fiéis com a iluminação do Espírito Santo, fazei que nos regulemos segundo o mesmo Espírito e que gozemos sempre da sua consolação. Por Jesus Cristo, Senhor Nosso. Amém.
Oração de São Bernardo à Santíssima Virgem
Lembrai-vos, ó puríssima Virgem Maria, que nunca se ouviu dizer que algum daqueles que tem recorrido à vossa proteção, implorado vossa assistência e reclamado vosso socorro, fosse por vós desamparado. Animado eu pois com uma igual confiança a vós, Virgem entre todas singular, como a Mãe recorro. De vós me valho; e gemendo com o peso de meus pecados, me prostro a vossos pés. Não rejeiteis minhas súplicas, ó Mãe do Filho de Deus humanado; mas dignai-vos de as ouvir propícia, e de me alcançar o que vos rogo. Amém.
Ato para antes da meditação
Eu estou na presença de Deus. Ele me vê, me ouve e penetra até o íntimo de minha alma, descobrindo nela os meus mais recônditos pensamentos e afetos. Ah, como poderei sustentar a face do Deus de toda a santidade? Sendo tão miserável pecador, quando penso em minhas numerosas infidelidades, em tantos e tão enormes atentados que tenho cometido contra o meu Criador, o temor e o remorso se apoderam de mim e quase não me atrevo a levantar os olhos para o céu… A vós me socorro, ó divina Maria. Por toda a parte vos ouço chamar o refúgio dos pecadores, a consolação dos aflitos, a Mãe de misericórdia; sede pois o meu refúgio, minha esperança, minha Mãe, e alcançai-me o perdão de vosso adorado Filho.
Piedosíssima Virgem, bem conheceis minha ignorância e fraqueza. Sem os auxílios da graça não sou capaz de bem algum; nem mesmo posso ter um bom pensamento, nem excitar um bom sentimento em minha alma. Dignai-vos, vós mesma ensinar-me a orar. Afastai de mim todas as distrações, derretei o gelo de meu coração, inspirai-me atenção, recolhimento e fervor para fazer bem esta oração.
A predestinação da Santíssima Virgem
1. Maria foi predestinada para a mais eminente dignidade;
2. Para a mais perfeita santidade;
3. Para a mais elevada glória.
Primeiro Ponto: Maria foi predestinada para a mais eminente dignidade
Tendo Deus resolvido desde toda a eternidade salvar o mundo pelo mistério inefável da encarnação, dignou-se escolher a Maria, de preferência a todas as outras filhas de Adão, para ser Mãe de seu Filho. Por esta escolha gloriosa foi esta feliz criatura destinada para a mais alta dignidade, que se pode compreender. Tudo o que há de grande no Céu e na terra, é nada em comparação desta dignidade sublime. Maria será Mãe do Verbo encarnado nesta qualidade será Mãe dos Cristãos, Rainha dos Anjos, mediadora de intercessão entre Deus e os homens. Rendamos mil ações de graças a Deus por esta elevação de nossa amável Mãe, e por haver sido o seu amor para conosco quem o moveu a exaltá-la a tão eminente dignidade. Prostremo-nos ante o trono desta augusta Rainha e tributemos-lhe as profundas adorações que são devidas a suas grandezas.
Segundo Ponto: Maria foi predestinada para a mais perfeita santidade
Concebamos, se é possível, qual deve ser a santidade daquela que o Filho de Deus escolheu para sua Mãe, e o grau de perfeição a que deve ser elevada esta mulher bendita entre todas as mulheres, que será um dia sobre a terra o santuário vivo da Divindade. Nunca haverá nela nem pecado, nem defeito, nem a menor imperfeição. Maria possuirá todas as virtudes no mais alto grau. A graça santificante, de que sua alma será enriquecida, excederá a de todos os homens e de todos os Anjos. As graças atuais, de que será cheia antecipadamente, e os merecimentos, que adquirirá com o socorro destas graças, nunca tiveram nem terão coisa alguma que lhes seja comparável. Peçamos a Deus alguma comunicação desta admirável santidade. Trabalhemos por adquiri-la, praticando o quanto a nossa fraqueza o permitir, as virtudes de que Maria nos deu tão belos exemplos.
Terceiro Ponto: Maria foi predestinada para a mais elevada glória
Deus predestinou a Maria para a mais elevada glória que uma criatura pode possuir no Céu. Será colocada acima dos nove Coros dos Anjos, sobre um trono brilhante, à direita de seu Filho. Tudo o que não é Deus, ficará inferior a Maria e a este nome sagrado todo o joelho se dobrará no Céu, na terra e no inferno. Esta Virgem admirável receberá durante toda a eternidade as adorações e a profunda veneração de todos os Santos e de todos os Espíritos bem-aventurados. Felicitemo-la por tanta grandeza. Trabalhemos por merecer a poderosa proteção desta Rainha incomparável. Que não devemos esperar de seu socorro, se tomar interesse por nós?! E ela certamente o tomará, se formos fiéis em honrá-la, em mostrar-lhe nosso amor, e em invocá-la com firme confiança.
ORAÇÃO
Ó Divina Mãe de Jesus, eu tremo todas as vezes que penso no mistério impenetrável da predestinação e leio o que diz o Evangelho sobre o pequeno número dos escolhidos. Porém uma lembrança me sossega e me enche da mais doce consolação. Segundo o testemunho dos Santos Doutores, uma terna e sincera devoção para convosco é um penhor quase certo de salvação e um dos menos equívocos sinais de predestinação. Minha boa Mãe, parece-me que vos amo, que tenho em vós uma grande confiança, que sinto um verdadeiro desejo de vos servir e honrar por todos os meios, que de mim dependem. Os devotos sentimentos pois, de que tendes animado meu coração, são para mim feliz presságio de minha eterna felicidade; e se os conservar fielmente, posso esperar que serei do número dos escolhidos e que, ajudado por vossa maternal proteção, alcançarei o Céu, para o qual fui criado. Mas, ah! Vós que conheceis a minha inconstância e fraqueza, não permitais que eu tenha nunca a desgraça de deixar enfraquecer em minha alma os sentimentos de que para convosco me acho possuído. Permiti que eu vos seja sempre fiel e que até ao último suspiro de minha vida não deixe jamais de honrar-vos, de servir-vos, de invocar-vos e de amar-vos, para que possa reunir-me a vós na bem-aventurada eternidade.
EXEMPLO
Devoção dos Reis de Portugal à Santíssima Virgem
Portugal parece ter sido em todos os tempos objeto da predileção da Mãe de Deus; e os portugueses fiéis à Religião tiveram sempre uma terna devoção e sincera confiança para com esta poderosa Protetora. Mil exemplos tirados da história, e que é muito longo enumerar, subministrariam abundantes provas de uma verdade tão consoladora e tão própria para inspirar-nos uma verdadeira devoção para com a Santíssima Virgem. Mas, pode dizer-se que particularmente sobre o trono é que a devoção a Maria tem aparecido com mais esplendor, e que os maiores Reis e as mais virtuosas Rainhas têm dado constantemente a seus povos o exemplo de um religioso afeto a esta adorável Virgem. Um volume inteiro seria insuficiente para referir, ainda mesmo em resumo, tantos rasgos tocantes de devoção e piedade, tantas doações magníficas, tantas obras verdadeiramente reais, tantos monumentos de toda a espécie, com que monarcas portugueses tem mostrado seu zelo pela glória de Maria.
O seguinte fato por si só bastaria para provar, que Portugal não só tem a Virgem Santíssima por especial Protetora, mas deve sua fundação e conservação à poderosa intercessão desta amável Mãe. Nasce em Guimarães no ano de 1141 o grande Afonso Henriques, destinado pelo Céu para ser o primeiro rei dos portugueses e fundador de um reino, que o Senhor chamou propriamente seu. Porém, o estado físico do recém-nascido infante era um obstáculo insuperável, que malograva todas as esperanças. Ardentíssimos votos dirigiram à Mãe de Deus todos os bons portugueses. No ardor de suas humildes e fervorosas súplicas, a divina Mãe de piedade digna-se aparecer ao fiel e devoto Egas Moniz, dizendo-lhe: “No lugar chamado Carquere, junto da antiga Lamego, existe uma ermida escondida debaixo da terra. Nela acharás a minha imagem sobre seu único altar. Põe sobre este altar o aleijado infante. Ele receberá perfeita saúde e experimentará constantemente o meu eficaz e amoroso amparo”. A realidade do sucesso justificou a verdade da revelação. Fazem-se as necessárias escavações, descobre-se enfim a rústica, mas devota capelinha com o seu altar, e colocada sobre ele a imagem da Virgem Mãe de piedade. É logo ali levado pelo mesmo Egas o menino Afonso, e verificam-se as promessas da Senhora. Este grande Rei soube ser grato a tão singular benefício. Além do célebre Mosteiro de Alcobaça, que fundou coadjuvado pelo grande São Bernardo, Abade de Claraval; além dos templos que lhe consagrou, que aumentaram ao número de cento e cinquenta, contando ermidas e mosteiros, lhe sujeitou o seu Reino tomando-a por Padroeira dele sob o título do Claraval na França, onde vivia São Bernardo.
A Rainha Santa Isabel, cujo elogio se acha todo recopilado no título de Santa, que a Igreja lhe conferiu, foi a primeira que naquele Reino, (e, segundo alguns autores, em todo o mundo) fundou Capela à Imaculada Conceição de Maria, colocando-a na Igreja da Trindade, que então se edificava em Lisboa.
Confiado na proteção de Maria é que o Rei D. João I entrou na grande batalha de Aljubarrota, onde venceu com forças muito desiguais ao Rei D. João I de Castella, por cujo motivo lhe dedicou o célebre Mosteiro de Nossa Senhora da Vitória, chamado da Batalha. No dia da gloriosa Assunção de Maria, ganhou ele esta vitória, e por uma notável coincidência, em diferentes anos neste dia escapou de uma grande conjuração; neste dia conquistou a praça de Ceuta; neste dia morreu e neste mesmo dia foi trasladado seu corpo do primeiro sepulcro em que jazia, para o convento da Batalha, dedicado à mesma Senhora. Em sinal de sua especial devoção a este mistério da Senhora, ordenou que todas as Sés do seu reino se intitulassem da sua gloriosa Assunção.
O Infante D. Fernando, filho de D. João I e de D. Felipa, o qual pelas suas admiráveis virtudes e santidade é conhecido pelo nome de Infante Santo, tinha uma singularíssima devoção a Maria Santíssima, jejuava a pão e água todas as vésperas de suas festividades, e mereceu no dia de sua morte (achando-se prisioneiro em Fez) gozar da celestial consolação da vista da mesma Senhora, que lhe apareceu assentada sobre um trono, e olhando-o amorosamente, lhe disse: “Hoje virás para a minha companhia”, o que ele mesmo referiu ao seu Confessor.
A Rainha D. Leonor, mulher de D. João II, foi também singularmente devota da mesma Senhora e fundou sob sua invocação o Mosteiro da Madre de Deus em Xabregas, onde jaz sepultada, e outras igrejas e conventos, merecendo distinto lugar entre suas fundações a da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa debaixo dos auspícios da mesma Senhora.
O Rei D. Manoel, por especial devoção à Virgem Santíssima, lhe fundou em Lisboa a Colegiada da Conceição.
O Rei D. João IV foi também devotíssimo da Senhora, particularmente no mistério da sua Imaculada Conceição, em que renovou o padroado do Reino com um certo censo à sua Capela de Vila-Viçosa, fundação de D. Nuno Álvares Pereira; e jurou de a defender e mandar jurar em côrtes e na Universidade de Coimbra, e colocar pelas portas da cidade padrões que dizem: — A Virgem Maria Mãe de Deus foi concebida em graça sem pecado original. — O D. João V lhe consagrou as duas basílicas de Mafra e Lisboa, e lhe rendia amiudados cultos e pomposas solenidades. E finalmente a devoção do senhor D. João VI para com esta divina Senhora o fez instituir a Ordem Militar da Conceição
Quem poderá à vista disto deixar de gloriar-se de uma devoção praticada pelas mais respeitáveis testas coroadas; de uma devoção confirmada pelos mais admiráveis prodígios; recompensada pelas mais assinaladas graças; e que foi sempre um manancial de prosperidade e de ventura para os portugueses enquanto eles lhe foram fiéis.
Se não temos experimentado de um modo tão sensível os efeitos da poderosa proteção de Maria; se temos sentido pesar sobre nós o braço do Senhor, não o atribuamos senão à nossa indiferença e ingratidão para com esta celestial benfeitora. Não nos esqueçamos de que Maria é nossa Padroeira, é nossa Mãe. Humilhemo-nos, recorramos a ela com firme confiança, e visto que os exercícios deste mês nos oferecem um meio fácil de a honrar e de a interessar em nosso favor, abracemos com empenho uma prática tão edificativa e tão própria para atrair sobre nós suas antigas misericórdias.
PRÁTICA
Trazei convosco a imagem de Maria. Apertai-a de quando em quando ao vosso coração e dizei-lhe: Eu quero, ó Maria, que este coração seja vosso.
JACULATÓRIA
Dominare nostri tu, et Filius tuus.
Ó Maria, reinai em nós com vosso divino Filho;
Ato para depois da meditação
Bendito sejais, meu Deus, pelas graças que acabais de conceder-me durante esta oração, pelas luzes e bons pensamentos que nela me destes, pelas santas impressões com que movestes meu coração, pelas saudáveis resoluções que me inspirastes. Perdoai-me as distrações, as negligências, a tibieza e a resistência à vossa graça, de que me tornei culpado. Virgem Piedosíssima, minha boa e terna Mãe, eu me lanço com uma inteira confiança em vossos braços, para achar em vosso coração um asilo seguro contra todos os perigos a que poderei achar-me exposto. Tomai-me debaixo de vossa proteção; vigiai em minha defesa; trazei-me à memória muitas vezes as minhas resoluções e alcançai-me a graça de as praticar fielmente.
ANTÍFONA
V. Toda sois formosa, ó Maria.
R. Toda sois formosa, ó Maria.
V. E não vos manchou o pecado original.
R. E não vos manchou o pecado original.
V. Vós sois a glória de Jerusalém.
R. Vós sois a alegria de Israel.
V. Vós sois a honra do vosso povo.
R. Vós sois a advogada dos pecadores.
V. Ó, Maria!
R. Ó, Maria!
V. Virgem prudentíssima.
R. Mãe clementíssima.
V. Rogai por nós.
R. Intercedei por nós a Nosso Senhor Jesus Cristo.
V. Fostes, ó Virgem, imaculada na vossa Conceição.
R. Rogai por nós ao Pai, cujo Filho destes à luz.
OREMOS
Ó, Deus que preparastes uma digna morada para vosso Filho, pela imaculada Conceição da Virgem Maria, preservando-a de toda a culpa, pela previsão da morte do mesmo seu Filho, concedei-nos pela intercessão desta Senhora, que purificados de toda a mácula, cheguemos a gozar a vossa vista. Pelo mesmo Jesus Cristo, Senhor Nosso. Amém.
Ladainha de Nossa Senhora
Senhor, tende piedade de nós.
Jesus Cristo, tende piedade de nós.
Senhor, tende piedade de nós.
Jesus Cristo, ouvi-nos.
Jesus Cristo, atendei-nos.
Pai do Céu, que sois Deus, tende piedade de nós.
Filho Redentor do mundo que sois Deus, tende piedade de nós.
Espírito Santo, que sois Deus, tende piedade de nós.
Trindade Santa que sois um só Deus, tende piedade de nós.
Santa Maria, rogai por nós.
Santa Mãe de Deus,
Santa Virgem das virgens,
Mãe de Jesus Cristo.
Mãe da divina graça,
Mãe puríssima,
Mãe castíssima,
Mãe imaculada,
Mãe intemerata,
Mãe amável,
Mãe admirável,
Mãe do bom conselho,
Mãe do Criador,
Mãe do Salvador,
Virgem prudentíssima,
Virgem venerável,
Virgem louvável,
Virgem poderosa,
Virgem clemente,
Virgem fiel,
Espelho de justiça,
Sede da sabedoria,
Causa da nossa alegria,
Vaso espiritual,
Vaso digno de honra.
Vaso insigne de devoção,
Rosa mística,
Torre de Davi,
Torre de marfim.
Casa de ouro,
Arca da aliança,
Porta do Céu,
Estrela da manhã,
Saúde dos enfermos,
Refúgio dos pecadores,
Consoladora dos aflitos,
Auxílio dos Cristãos,
Rainha dos Anjos,
Rainha dos Patriarcas,
Rainha dos Profetas,
Rainha dos Apóstolos,
Rainha dos Mártires,
Rainha dos Confessores,
Rainha das Virgens,
Rainha de todos os Santos,
Rainha concebida sem pecado original,
Rainha assunta ao Céu,
Rainha do sacratíssimo Rosário,
Rainha da Paz,
Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo, perdoai-nos, Senhor.
Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo, ouvi- -nos, Senhor.
Cordeiro de Deus, que tirai os pecados do mundo, tende piedade de nós.
ANTÍFONA
Salve, Rainha, Mãe de misericórdia…
OREMOS
Infundi, Senhor, como vos suplicamos a vossa graça em nossas almas, para que nós, que pela anunciação do Anjo cremos na encarnação do vosso Filho, pela sua paixão e morte de cruz sejamos conduzidos à glória da ressurreição. Pelo mesmo Jesus Cristo, Nosso Senhor.
R. Amém.

Nenhum comentário:

Postar um comentário