quarta-feira, 30 de abril de 2014

15 Orações de Santa Brígida



Como já há multo tempo Ela (Santa Brígida) desejasse saber o número de golpes que Nosso Senhor rece­beu durante a Paixão, certo dia Ele lhe apa­receu, dizendo:
“Recebi em meu corpo 5.480 golpes. Se de­sejais honrar as chagas que eles me produ­ziram, mediante uma veneração particular, de­veis recitar quinze Pai - Nossos e quinze Ave - Marias, acrescentando as seguintes orações (que Ele lhe ensinou), durante um ano intei­ro; quando o ano terminar, tereis prestado homenagem a cada uma das minhas chagas". Ele acrescentou em seguida que quem recitar essas Orações durante um ano "conseguirá livrar do Purgatório quinze almas de sua famí­lia; quinze justos, também da sua linhagem, serão conservados em graça e quinze pecado­res da sua família serão convertidos.



Mesmo que alguém tivesse passado 30 anos em pecado mortal, logo que reza estas orações ou faz o propósito de rezá-las, o Senhor perdoar-lhe-á todos os seus pecados e defender-lhe-á contra todas as más tentações. Ele proteja seus 5 sentidos e o preserve de uma morte repentina e imprevista e a sua alma da condenação eterna. E tudo  que deseja de Deus e da SS Virgem ser-lhe-á concedido..... (esse parágrafo encontra-se depois das 15 orações, mas como faz parte da mesma promessa, o autor desse artigo achou que deveria colocá-la no inicio.)

A pessoa que as recitar será elevada ao mais eminente grau de perfeição e quinze dias an­tes de sua morte, eu lhe darei meu precioso corpo, para que ele seja livre da fome eterna; eu lhe darei também a beber o meu precioso Sangue, a fim de que não padeça sede eterna­mente; e quinze dias antes de sua morte, ela experimentará uma profunda contrição de to dos os seus pecados e um perfeito conheci­mento deles. Diante deles, eu colocarei o sinal de minha cruz vitoriosa como socorro e defe­sa contra os embustes de seus inimigos. Antes de sua morte, eu virei em companhia de minha muito cara e bem-amada Mãe, para receber benignamente a sua alma e conduzi-la às alegrias eternas; e, tendo-a levado até lá, eu lhe darei a beber um trago singular da fonte da minha Divindade, o que não farei, abso­lutamente, a outros que não hajam recitado as minhas Orações.
Aquele que disser essas Orações pode estar seguro de ser Associado no supremo coro dos Anjos e todo aquele que as ensinar a alguém, terá assegurado para sempre sua felicidade e seus méritos. Sim. eles serão estáveis e dura­rão perpetuamente.
No lugar onde se encontrarem e onde forem recitadas essas Orações, Deus ai estará tam­bém presente com a sua graça.

Todos esses privilégios foram prometidos à Santa Brígida por Nosso Senhor Crucificado, com a condição de que as citadas orações fos­sem recitadas diariamente. São, igualmente, prometidos a todos quantos as recitarem de­votamente, durante um ano inteiro.

Primeira Oraçào.

Pater.... Ave....

ò Jesus Cristo, doçura eterna para aqueles que vos amam, alegria que ultrapassa toda alegria e todo o desejo, esperança de salva­ção dos pecadores que declarastes não terdes maior contentamento do que estar entre os homens, até ao ponto de assumir a nossa na­tureza, na plenitude dos tempos, por amor deles, lembrai-vos dos sofrimentos, desde o primeiro instante de vossa Conceição e sobre­tudo durante a vossa Santa Paixão, assim co­mo havia sido decretado e estabelecido desde toda a eternidade na mente divina. Lembrai- vos, Senhor, que, celebrando a Ceia com os vossos discípulos, depois de lhes haverdes la­vado os pés, destes-lhes o vosso Sagrado Cor­po e precioso Sangue e consolando-os doce­mente lhes predissestes vossa Paixão iminente. Lembrai-vos da tristeza e da amargura , que experimentastes em vossa alma, como o testemunhastes, Vós mesmo, por estas pala­vras; "Minha alma está triste até à morte”. Lembrai-vos, Senhor, dos temores, angústias e dores que suportastes em vosso corpo deli­cado antes do suplício da cruz, quando, depois de ter rezado por três vezes, derramando um suor de sangue, fostes traído por Judas, vosso discípulo, preso pela nação que esco­lhestes, acusado por testemunhas falsas, in­justamente julgado por trés juizes, na flor da vossa juventude e no tempo solene da Páscoa. Lembrai-vos que fostos despojado das vossas proprias vestes e revestido das vestes de irrisão; que vos velaram os olhos e a fa­ce, que vos deram bofetadas, que vos coroa­ram de espinhos, que vos puseram uma cana na mão e que, atado a uma coluna, fostes des­pedaçado por golpes e acabrunhado de afron­tas e ultrajes. Em memória dessas penas e do­res que suportastes antes da vossa Paixão sobre a cruz, concedei-me, antes da morte, uma verdadeira contrição, a oportunidade de me confessar com pureza de intenção e sin­ceridade absoluta, uma adequada satisfação e a remissão de todos os meus pecados. As­sim seja.

Segunda Oraçào.

Pater.... Ave....

O Jesus, verdadeira liberdade dos Anjos, pa­raíso de delicias, lembrai-vos do peso acabru­nhador de tristeza que suportastes, quando vossos inimigos, quais leões furiosos, vos cer­caram, e por meio de mil Injúrias, escarros, bofetadas, arranhões e outros inauditos suplí­cios, vos atormentaram à porfia. Em conside­ração desses insultos e desses tormentos, eu vos suplico, Omeu Salvador, que vos digneis libertai-me dos meus inimigos visíveis e in­visíveis e fazer-me chegar, com o vosso auxi­lio, à perfeição da salvação eterna. Assim seja.

Terceira Oraçào.

Pater.... Ave....

O Jesus, Criador do Céu e da terra, a quem coisa alguma pode conter ou limitar, vós que tudo abarcais e tendes tudo sob o vosso poder, lembrai-vos da dor, repleta de amargura, que experimentaste quando os soldados, pregando na cruz vossas sagradas mãos e vossos pés tão delicados, transpassaram-nos com grandes e rombudos cravos e não vos encontrando no estado em que teriam dejado para dar largas à sua cólera, dilataram as vossas chagas, exacerbando assim as vos­sas dores. Depois, por uma crueldade inaudi­ta, vos estenderam sobre a cruz e vos viraram de todos os lados, deslocando, assim, os vos­sos membros. Eu vos conjuro, pela lembran­ça desta dor que suportastes na cruz com tan­ta santidade e mansidão, que vos digneis con­ceder-me o vosso temor e o vosso amor. As­sim seja.

Quarta Oraçào.

Pater.... Ave....

Ó Jesus. médico celeste, que fostes elevado na Cruz a fim de curar as nossas chagas por meio das vossas, lembrai-vos do abatimento em que vos encontrastes e das contusões que vos ínflingiram em vossos sagrados membros, dos quais nenhum permaneceu em seu lugar, de tal modo que dor alguma poderia ser comparada à vossa. Da planta dos pés até o alto da cabeça nenhuma parte do vosso cor­po esteve isenta de tormentos; e, entretanto, esquecido de vossos sofrimentos, não vos can­sastes de suplicar a vosso Pai pelos Inimigos que vos cercavam, dizendo-lhe: “Pai, perdoai- lhes, porque não sabem o que fazem”. Por esta grande misericórdia e em memória desta dor, fazei com que a lembrança de vos­sa Paixão. tão Impregnada de amargura, ope­re em mim uma perfeita contrição e a remis­são de todos os meus pecados. Assim seja.


Quinta Oraçào.

Pater.... Ave....

ó Jesus, espelho do esplendor eterno, lembrai-vos da tristeza que sentistes, quando, con­templando à luz da vossa divindade a predestinação daqueles que deviam ser salvos pelos méritos de vossa santa Paixão, contem­plastes, ao mesmo tempo, a multidão dos ré­probos que deviam ser condenados por causa de seus pecados e lastimastes amargamente a sorte desses infelizes pecadores, perdidos e desesperados. Por este abismo de compaixão e de piedade e. principalmente, pela bondade que manifestastes ao bom ladrão, dizendo-lhe: “Hoje estarás comigo no Paraíso”, eu vos su­plico, ó doce Jesus, que na hora de minha morte, useis de misericórdia para comigo. Assim seja.


Sexta Oraçào.

Pater.... Ave....

ó Jesus, Rei amável o todo desejável, lembrai vos da dor que experimentastes quando, nú e como um miserável, pregado e levantado na cruz, fostes abandonado por todos os vossos parentes e amigos, com exceção de vossa Mãe bem-amada, que permaneceu, em compa­nhia de São João, muito fielmente junto de vós na Agonia, lembrai-vos de que os entre­gastes um ao outro, dizendo: “Mulher, eis ai o teu filho!” e a João: "Eis ai a tua Mãe!” Eu vos suplico, ó meu Salvador, pela espada de dor que entào transpassou a alma de vossa santa Mãe, que tenhais compaixão de mim em todas as minhas angústias e tribulações, tanto corporais como espirituais e que vos digneis assistir-me nas provações que me so­brevierem, sobretudo na hora de minha morte. Assim seja.

Sétima Oraçào.
Pater.... Ave....
Ó Jesus, fonte inexaurível de piedade que, por uma profunda ternura de amor, dissestes so­bre a Cruz ' Tenho sede!", mas, sede da sal­vação do género humano. Eu vos suplico, ó meu Salvador, que vos digneis estimular o desejo que meu coração experimenta de ten­der a perfeição em todas as minhas obras e extinguir, por completo, em mim, a concu­piscência carnal e o ardor dos desejos mun­danos. Assim seja.


Oitava Oraçào.

Pater.... Ave....

ó Jesus, doçura dos corações, suavidade dos espíritos, pelo amargo sabor do fel e do vi­nagre que provastes sobre a cruz por amor de todos nós, concedei-me a graça de receber dignamente vosso Corpo e vosso preciosíssi­mo Sangue durante minha vida e na hOra de minha morte, a fim de que sirvam de re­médio e de consolo para a minha alma. As­sim seja.


Nona Oraçào.

Pater.... Ave....

ó Jesus, virtude real, alegria do espirito, lembrai-vos da dor que suportastes, quando, mergulhado na amargura ao sentir aproximar-se a morte, insultado e ultrajado pelos homens, julgastes haver sido abandonado por vosso Pai, dizendo-lhe: "Meu Deus, meu Deus, por que me ahandonastes?” Por essa angústia eu vos conjuro, ó meu Salvador, que não me abandoneis nas aflições e nas dores da mor te. Assim seja.


Décima Oraçào.

Pater.... Ave....

Ó Jesus, que sois em todas as coisas começo e fim, vida e virtude, lembrai-vos de que por nós fostes mergulhado num abismo de dores. da plantas dos pés até o alto da cabeça. Em consideração da extensão de vossas chagas, ensinai-me a guardar os vossos mandamen­tos, mediante uma sincera caridade, manda­mentos esses que são caminho espaçoso e agradável para aqueles que vos amam. As­sim seja.



Décima Primeira Oraçào.

Pater.... Ave....

Ó Jesus, profundíssimo abismo de misericór­dia, suplico-vos, em memória de vossas cha­gas que penetraram até a medula de vossos ossos e atimgiram até vossas entranhas, que vos digneis afastar essa pobre pecadora do lodaçal de ofensas em que está submersa, con­duzindo-a para longe do pecado. Suplico-vos também esconder-me de vossa Face irritada, ocultando-me dentro de vossas chagas até que vossa Justa indignação tenham passado. Assim seja.


Décima Segunda Oraçào.

Pater.... Ave....

ó Jesus, espelho de verdade, sinal de unida­de, laço de caridade, lembrai-vos dos inume­ráveis ferimentos que recebestes, desde a ca­beça até os pés, ao ponto de ficardes dilacerado e coberto pela púrpura de vosso sangue adorável. Ó, quão grande e universal foi a dor que sofrestes em vossa carne virginal por nos­so amor! Dulcíssimo Jesus, que poderíeis fa­zer por nós que não o houvésseis feito? Eu vos conjuro, ó meu Salvador, que vos dig­neis imprimir com o vosso precioso Sangue, todas as vossas chagas no meu coração, a fim de que eu relembre, sem cessar, vossas dores e vosso amor. Que pela fiel lembrança de vossa Paixão, o fruto dos vossos sofrimentos seja renovado em minha alma e que vosso amor vá crescendo em mim cada dia mais, até que eu me encontre finalmente convosco, que sois o tesouro de todos os bens e a fon­te de todas as alegrias, ó dulcíssimo Jesus, concedei-me poder gozar de semelhante ven­tura na vida eterna. Assim seja.


Décima Terceira Oraçào.

Pater.... Ave....

ô Jesus, Fortissimo Leão, rei Imortal e Inven­cível, lembrai-vos da dor que vos acabrunhou quando sentistes esgotadas todas as vossas forças, tanto do coração como do corpo e in­clinastes a cabeça, dizendo: "Tudo está con­sumado!" Por esta angústia e por esta dor, eu vos su­plico, Senhor Jesus, que tenhais piedade de mim quando soar a minha última hora e mi­nha alma estiver amargurada e meu espírito cheio de aflição. Assim seja.

Décima Quarta Oraçào.

Pater.... Ave....

ó Jesus, Filho Únioo do Pai, esplendor e ima­gem da sua substAncia, lembrai-vos da humil­de recomendação que lhes dirigistes, dizendo: "Meu Pai, em vossas mãos entrego o meu es­pirito!" Depois expirastes, estando vosso cor­po despedaçado, vosso coração transpassado e as entranhas de vossa misericórdia abertas para nos resgatar! Por essa preciosa morte, eu vos conjuro, Ó Rei dos Santos, que me deis força e me socorrais para resistir ao de­mônio, à carne e ao sangue, a fim de que, estando morta para o mundo, eu possa viver somente em Vós. Na hora de minha morte, recebei, eu vos peço, minha alma peregrina e exilada, que retoma para Vós. Assim seja.

Décima Quinta Oraçào.

Pater.... Ave....

ó Jesus, vide verdadeira e fecunda, lembrai- vos da abundante efusão de sangue que tão generosamente derramastes de vosso sagrado corpo, assim como a uva é triturada no lagar. Do vosao lado, aberto pela lança de um dos soldados, jorraram sangue e água, de tal mo­do que não retivestes uma gota sequer; e, en­fim, como um ramalhete de mirra, elevado na cruz, vossa carne delicada se aniquilou, fe­neceu o humor de vossas entranhas e secou a medula de vossos ossos. Por esta tão amar­ga Paixão e pela efusão de vosso precioso Sangue, eu vos suplico, ó bom Jesus, que re­cebais minha alma quando eu estiver na ago­nia. Assim seja.



Oração Final.

ó doce Jesus, vulnerai o meu coração a fim de que lágrimas de arrependimento, de compunção e de amor, noite e dia me sirvam de alimento; convertei-me inteiramente a vós; . que meu coração vos sirva de perpétua habitação; que minha conduta vos seja agradável e que o fim de minha vida seja de tal mo­do edificante que eu possa ser admitido no vosso paraíso, onde, com todos os vossos San­tos, hei de vos louvar para sempre. Assim seja.


SOBRE A RECITAÇÃO DAS ORAÇÕES.

PERGUNTA: ‘’ É NECESSÁRIO RECITÁ-LAS TODOS OS DIAS, SEM INTERRUPÇÃO ? ”
RESPOSTA: Faltar o menos possível, todavia, se por um motivo sério, nos vemos forçados a omiti-las, nem por isso ficamos privados dos privilégios que lhes são inerentes, desde que as recitemos 365 vezes no ano. Devemos recitá-las com devoção, esforçando-nos por penetrar no sentido das palavras que vamos pronunciando.

Fonte:

2 comentários:

  1. Comecei estas orações em 02/01/2012 e terminei em 07/02/2013 e até hoje só recebi desgraças, vejo que isso tudo é só mentiras.

    ResponderExcluir